Mais de 500 combatentes mortos na batalha de Aleppo numa semana

Números foram avançados pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Mais de 500 combatentes do regime sírio e dos seus adversários morreram numa semana na batalha pelo controlo de Aleppo, a segunda maior cidade da Síria, indicou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Mais de 500 combatentes das fileiras do regime e das dos 'jihadistas' e rebeldes islamitas perderam a vida em Aleppo desde domingo. A maioria dos mortos são rebeldes, devido aos bombardeamentos aéreos", disse o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

O regime do Presidente Bashar al-Assad dispõe de aviões de combate, ao contrário dos grupos rebeldes envolvidos na batalha que não possuem aviação.

A 31 de julho, os rebeldes, ajudados pelo grupo 'jihadista' Fateh al-Cham (ex-Frente al-Nusra que pôs fim à sua ligação à Al-Qaida), lançaram no sul de Aleppo uma contraofensiva para quebrar o cerco imposto pelo regime aos bairros que controla naquela cidade do norte da Síria.

Desde essa data, além dos cerca de 500 combatentes mortos, pelo menos 130 civis morreram também nos confrontos, na maioria dos bairros controlados pelo regime sírio, acrescentou o OSDH.

Aleppo, a segunda maior cidade do país e um dos principais palcos do conflito, está dividida desde 2012 entre bairros do leste controlados pelos rebeldes e bairros do oeste pelas forças pró-regime.

A guerra na Síria começou em março de 2011, após a repressão sangrenta pelo regime de manifestações a favor da democracia, e já fez mais de 280.000 mortos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG