Mais de 30 rebeldes morrem em raides da coligação árabe

Morreram 41 pessoas no Iémen na terça-feira, 33 das quais eram rebeldes

Trinta e três rebeldes estão entre os 41 mortos no norte do Iémen na terça-feira, na sequência de raides aéreos da coligação árabe, disse hoje um chefe tribal próximo dos rebeldes xiitas 'huthis', que controlam a região.

Fontes médicas e tribais reportaram na terça-feira a morte de 41 pessoas, apresentadas como civis, num ataque contra um mercado da província de Hajja.

Mas o responsável tribal, que falou sob anonimato por razões de segurança, disse à AFP que "33 combatentes 'huthis' figuram entre as 41 pessoas mortas nos raides aéreos e que os restantes são civis".

"Estes combatentes fugiam em três veículos de um acampamento militar dos rebeldes atingidos por três ataques aéreos. A aviação da coligação, que os perseguiu, realizou dois ataques à sua chegada a um mercado na cidade de Moustaba, matando 41 pessoas, incluindo 33 rebeldes e causando dezenas de feridos", disse o funcionário.

Segundo a ONU, o conflito do Iémen fez mais de 6.200 mortos, metade dos quais civis, desde a intervenção, em março de 2015, de uma coligação árabe sunita liderada pela Arábia Saudita contra os rebeldes xiitas 'huthis', que ainda controlam a capital, Sanaa, e largas parcelas do norte e do oeste do país.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG