Macron quer proibir deputados de contratar familiares

Candidato independente às presidenciais faz referência ao caso que afeta o adversário François Fillon

Emmanuel Macron, candidato às presidenciais francesas, quer propor legislação para proibir que deputados contratem familiares com dinheiro público, referindo-se ao caso que afeta o candidato François Fillon.

Numa entrevista publicada hoje no jornal "Le Parisien", Macron afirma que se for eleito chefe de Estado vai "proibir" que os parlamentares contratem membros da própria família para "pôr fim ao nepotismo".

"Não estou contra o emprego de familiares quando se utilizam fundos próprios. Mas não se pode fazer o mesmo quando se trata de dinheiros públicos", acrescenta Macron que apresenta hoje em Paris o programa de candidatura ao Eliseu.

Na entrevista, o ex-ministro da Economia do presidente socialista François Hollande, sublinha a necessidade de uma "lei de moralização da política" que consta do programa que vai apresentar hoje, e que tem como objetivo "reduzir os conflitos de interesse".

O conservador François Fillon, suspeito de desvio de fundos públicos por ter alegadamente criado empregos fictícios para a mulher e os dois filhos, anunciou na quarta-feira que mantém a candidatura.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG