Lula recebeu suborno em dinheiro vivo, diz Odebrecht

Revelação faz parte da delação premiada do presidente e herdeiro do grupo Odebrecht e foi divulgada pela revista IstoÉ

Lula da Silva recebeu em dinheiro vivo uma parte dos oito milhões de reais, cerca de 2,3 milhões de euros, que lhe pagou a Odebrecht, construtora cujos executivos assinaram com a Polícia Federal um acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava-Jato, que investiga a corrupção na Petrobras. Foi o próprio Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo preso desde junho do ano passado, quem o afirmou às autoridades, segundo a revista IstoÉ.

As transferências desse valor, umas em espécie outras por via bancária, foram efetuadas sobretudo em 2012 e 2013, já depois de Lula ter saído da presidência (foi presidente de 2002 a 2010), e diretamente do setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o gabinete da empresa destinado a pagamentos de subornos a políticos. O que despertou a atenção da Polícia Federal, de acordo com a IstoÉ, publicação semanal hostil ao Partido dos Trabalhadores (PT), é se, como alega a defesa de Lula, esse valor era relativo a palestras efetuadas pelo ex-presidente, porque parte foi paga em dinheiro vivo?

O acordo de delação premiada de Odebrecht e de mais 81 executivos da empresa é considerado o maior do mundo deste tipo, com batalhões de advogados envolvidos e a produção de 300 anexos citando políticos de todos os partidos no Congresso, num total de 100 parlamentares e 20 governadores e ex-governadores estaduais.

Entretanto, na madrugada de quinta para sexta-feira, Lula disse que está a ser vítima "de um pacto diabólico". Para o ex-presidente "a operação faz mal à polícia federal e ao Ministério Público que têm muita gente séria".

Em São Paulo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG