Líder dos deputados brasileiros quer ações contra a desflorestação da Amazónia

No Rio de Janeiro, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, disse esta segunda-feira que não vai levar a discussão a questão da demarcação das áreas indígenas, como quer o presidente Jair Bolsonaro

O presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Rodrigo Maia, disse nesta segunda-feira que o Congresso não vai discutir neste momento a demarcação de terras indígenas, após declarações recentes do presidente Jair Bolsonaro defendendo a revisão de demarcações por supostos indícios de fraude.

Num evento no Rio de Janeiro, Maia classificou como polémica desnecessária o debate sobre a demarcação de áreas indígenas e manifestou preocupação com o dano de imagem sofrido pelo agronegócio brasileiro por causa das queimadas na Amazónia, prometendo que o Congresso brasileiro votará propostas que mostram que os congressistas são contra a desflorestação da mesma.

Maia, do partido Democratas, é também deputado federal pelo Rio de Janeiro. O seu nome figura entre os potenciais candidatos às presidenciais brasileiras de 2022. Tal como o de Bolsonaro.

O atual presidente do Brasil está a ser alvo de duras críticas devido à resposta lenta em relação às queimadas na Amazónia, bem como devido aos seus planos para desenvolver o agricultura e a mineração naquela floresta, incluindo em zonas protegidas e de reserva.

Mais Notícias