Filha de ex-presidente peruano presa por lavagem de dinheiro

Keiko Fujimori, filha do ex-presidente, foi detida no âmbito de um processo que envolve pagamentos da construtora brasileira Odebrecht ao seu partido político

A líder do partido de oposição peruano Força Popular, Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori, foi detida esta tarde por alegada lavagem de dinheiro, no âmbito de um processo que investiga o financiamento ilegal da sua campanha presidencial de 2011. Ficará em prisão preventiva durante pelo menos dez dias.

A filha de Fujimori, ex-candidata presidencial, foi detida em Lima depois de ter entrado com o marido na sede do Ministério Público para declarar sobre o caso que, entre outras coisas, envolve supostamente pagamentos ilegais feitos pela construtora brasileira Odebrecht, segundo informou a sua advogada, Giuliana Loza. A Odebrecht está no centro de uma rede de pagamento de subornos em toda a América Latina.

As autoridades citaram o risco elevado de fuga da parte de Fujimori para a deter, alegando que ela criou "uma organização criminosa" no interior do partido que tem "influência e interferência" no Congresso e dentro do Poder Judicial. A Força Popular é o maior partido no Congresso peruano, onde exerce a oposição ao governo de Martín Vizcarra.

Além de Keiko Fujimori foram detidas outras 17 pessoas, entre as quais os ex-ministros Jaime Yoshiyama e Augusto Bedoya Camare.

O pai de Fujimori, que esteve no poder entre 1990 e 2000, cumpria pena por crimes contra a humanidade quando, na véspera do Natal, foi indultado pelo ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski e libertado. O indulto, que terá sido dado em troca dos votos do setor da Força Popular liderado pelo irmão de Keiko, Kenji, foi contudo anulado na semana passada pelo Supremo Tribunal.

Mais Notícias