Juiz anula indulto e manda prender Fujimori

A justiça peruana anulou esta quarta-feira o indulto que foi concedido, há menos de um ano, ao ex-presidente Alberto Fujimori pelo então chefe do Estado Pedro Pablo Kuczynski

O juiz Hugo Nuñez Julca decidiu anular o indulto concedido ao ex-presidente Alberto Fujimori, o qual fora libertado na véspera de Natal do ano passado por ordem do então chefe do Estado peruano Pedro Pablo Kuczynski. O magistrado ordenou a localização e captura do ex-presidente para que seja levado para a prisão.

Presidente do Peru entre 1990 e 2000, o político de origem japonesa, hoje em dia com 80 anos, foi condenado a 25 anos de prisão após ser responsabilizado pela morte de 25 pessoas em 1991 e 1992 - que foram perpetradas pelo grupo paramilitar encoberto Colina. E ainda pelo sequestro de um jornalista e de um empresário em 1992. Esquadrão anticomunista, o grupo Colina foi responsável por vários massacres, como o de Barrios Altos, onde foram assassinadas 15 pessoas que tinham sido tomadas por apoiantes do Sendero Luminoso (grupo de inspiração maoista).

O indulto de Kuczynski a Fujimori, segundo algumas fontes em troca do apoio de um dos seus filhos, Kenji Fujimori, originou fortes protestos de rua no Peru, sobretudo por parte de familiares das vítimas, bem como recursos para tribunal. Foi a um desses recursos que o juiz decidiu esta quarta-feira dar razão e anular a libertação do ex-presidente. Kuczynski foi entretanto substituído e o presidente do Peru é, desde março, Martín Vizcarra.

Mais Notícias