Juiz acaba com recontagem no Michigan. Confirmada vitória de Trump

Recontagem dos votos tinha avançado a pedido da candidata do Partido Verde. Juiz federal considerou que não tinha fundamento legal

Um juiz federal dos Estados Unidos da América suspendeu a recontagem dos votos das eleições presidenciais de 8 de novembro no Michigan, por considerar que não tinha fundamento legal, selando assim a vitória do republicano Donald Trump neste estado.

A recontagem dos votos no Michigan tinha avançado na quarta-feira, na sequência de um requerimento da candidata do Partido verde, Jill Stein, que ficou em quarto neste estado nas eleições que elegeram Donal Trump próximo Presidente dos EUA.

Um juiz federal havia ordenado a recontagem dos votos no Michigan, mas a decisão foi anulada na quarta-feira por uma instância federal.

Stein está a rentar forçar a recontagem dos votos em três estados: Michigan, Pensilvânia e Wisconsin.

Ainda não há decisão sobre uma recontagem de votos na Pensilvânia. No Wisconsin, já avançou e está neste momento em curso.

No Nevada, uma recontagem parcial foi pedida pelo candidato independente Roque De La Fuente.

Jill Stein sugeriu que Donal Trump e os seus apoiantes poderiam tentar atrasar as recontagens para dificultar ou impossibilitar o cumprimento do prazo de dia 13 para os estados certificarem os seus resultados eleitorais ou procurar ter os votos decididos pelo Congresso, que é controlado pelos republicanos.

As autoridades responsáveis pelas eleições nos três estados (Michigan, Wisconsin e Pensilvânia) exprimiram confiança nos resultados apurados inicialmente. Nestes três estados, Donald Trump ganhou por uma escassa margem.

Não é expectável que as recontagens resultem numa alteração suficiente de votos que mude o resultado em qualquer um dos estados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG