Jovem sobrevive a ataques de tubarão, urso e cobra

No lugar errado à hora errada. Parece ser esta a máxima de vida de Dylan McWilliams. Por três vezes esteve à beira da morte quando foi atacado por uma cascavel, um urso e um tubarão

Por três vezes, Dylan McWilliams, de 20 anos, esteve à beira de morrer. O jovem norte-americano foi atacado por uma cascavel, um urso e, mais recentemente, por um tubarão. E tudo isto aconteceu em menos de quatro anos. Encontros com animais perigosos que deixaram sequelas, mas não mataram a vontade de continuar a explorar a vida selvagem.

Parece que McWilliams está sempre no local errado à hora errada. Pode até ser considerado um rapaz azarado, mas a verdade é que tem conseguido escapar com vida aos ataques dos animais.

"Não me sinto muito sortudo. Acho que é mais uma daquelas situações em que tens sorte em situações de muito azar", refere o jovem à BBC . Reconhece, no entanto, que é "de loucos". Afinal, a vida deste jovem esteve em risco demasiadas vezes.

O ataque mais recente aconteceu passada terça-feira. McWilliams estava no Havai quando foi mordido na perna por um tubarão-tigre. Um predador que tinha entre 1,8 a 2,4 metros, segundo a Sky News. O jovem pontapeou-o e nadou cerca de 30 metros até chegar à praia. Pelo rasto de sangue chegou a pensar que tinha perdido a perna. Levou sete pontos.

Mas antes de enfrentar um tubarão, o norte-americano lutou pela sobrevivência quando, no ano passado, um urso, com mais de 130 quilos, mordeu-lhe a cabeça.

O jovem estava a dormir fora da tenda quando, de repente, sentiu as mandíbulas do urso na parte de trás da cabeça. McWilliams tentou defender-se e libertar-se do animal ao dar-lhe murros na cabeça. Conseguiu escapar com vida. Teve de levar nove pontos. Apesar do susto e dos ferimentos, quer continuar a acampar.

Sem medo em lidar com o perigo, o norte-americano é um apaixonado pela vida ao ar livre. É feliz de mochila nas costas no meio da natureza. E é o que tem feito nos últimos anos ao percorrer alguns dos principais trilhos dos EUA e do Canadá. Uma paixão que herdou do avô, que lhe passou também o seu conhecimento em técnicas de sobrevivência.

E foi precisamente ao percorrer um trilho no Utah, que o jovem deparou-se com outro animal mortífero. Tinha 17 anos e pensava que tinha pisado um cacto, mas a verdade é que tinha "incomodado" uma cobra venenosa. Afinal, o que pensava ser um cacto era uma cascavel enrolada.

Recusou-se a ir ao hospital por achar que tinha sido uma mordidela seca. "Havia uma pequena quantidade de veneno e, por isso, fiquei doente durante alguns dias", recordou McWilliams.

O norte-americano não quer voltar a ter este tipo de encontros com animais e não os culpa pelos ataques de que foi alvo. "Temos de respeitar os limites dos animais, mas acho que não invadi o espaço deles nem provoquei os ataques. Eles apenas aconteceram", considera. "Os meus pais estão agradecidos por estar vivo", admitiu ao Hawaii News Now

Mais Notícias

Outras Notícias GMG