O plano italiano: Visitas à família e parques reabertos em maio. Escolas só em setembro

Generalidade do comércio reabre em meados de maio. Escolas só voltam a funcionar em setembro. Preço das máscaras vai ser tabelado: 50 cêntimos

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, apresentou este domingo ao país o plano de "reabertura". A Itália é o país que, nesta altura, está há mais tempo em confinamento - desde 9 de março.

"Não podemos continuar neste lockdown", afirmou Conte, apontando o risco de causar enormes danos - e "irreversíveis" - ao tecido sócio-económico do país. O líder do Governo italiano avisou, no entanto, que a retoma tem que ser feita com muita cautela, cumprindo o distanciamento social e usando máscara nos locais públicos. Anunciou também que vai limitar a 50 cêntimos o preço das máscaras.

A partir de 4 de maio os restaurantes podem reabrir, mas apenas para vender comida para fora. Mas a generalidade das lojas, tal como os museus e os equipamentos culturais em geral, só poderão reabrir três semanas mais tarde. A partir de 1 de junho reabrem as barbearias, cabeleireiros e salões de beleza, e os restaurantes e bares já podem abrir portas aos clientes.

Já as escolas só voltam a reabrir em setembro. Conte diz que este será um momento perigoso, dado que grande parte dos professores estão no grupo etário de maior risco, e que os especialistas apontam para um grande número de contagens se o ano letivo recomeçar nesta fase.

O primeiro-ministro italiano também prometeu aos seus concidadãos que em breve - já na primeira fase de levantamento de restrições, a partir de 4 de maio - poderão sair para passear e fazer exercício, com a reabertura de parques e jardins. "As festas privadas continuarão proibidas", sublinhou o líder do executivo italiano, mas será possível visitar a família, respeitando as regras de segurança.

Já o regresso do futebol aos estádios ainda não tem data marcada, mas o regresso dos atletas de competição aos treinos pode ocorrer já a 4 de maio, nos desportos individuais, ou a 18 do mesmo mês, nas modalidades desportivas coletivas.

Itália foi o país europeu mais atingido pela pandemia de covid-19, e o segundo no mundo, só atrás do Estados Unidos, com um registo de 26 664 mortes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG