Itália é o país com o maior número de mortes num dia. 2978 italianos já morreram

Em apenas 24 horas, Itália registou 475 mortes devido ao novo coronavírus. Já são quase três mil italianos que perderam a vida nesta pandemia.

Os números da pandemia de covid-19 continuam a ser avassaladores em Itália. Tornou-se, esta quarta-feira, no país com o maior aumento de mortes num dia, desde que começou o surto do novo coronavírus, no final do ano passado, na China. Em apenas 24 horas, foram registadas 475 vítimas mortais, um novo recorde, informou a Proteção Civil italiana. Já morreram 2978 italianos, indicaram as autoridades.

Em apenas um dia, foram registados 4207 novos casos de infeção, um número nunca antes alcançado. No total, há 35 713 pessoas infetadas em Itália.

O número total de vítimas mortais em Itália representa agora mais de metade de todos os casos registados fora da China. O país com cerca de 60 milhões de habitantes já registou 34,2% de todas as mortes oficialmente atribuídas ao covid-19 em todo o mundo.

Com a taxa de mortalidade a subir num país que está a caminho de estar há duas semanas de quarentena, as autoridades pediram que os italianos tivessem fé e permanecessem fortes.

"A prioridade é não desistir", disse, esta quarta-feira, o chefe do Instituto Nacional de Saúde de Itália, Silvio Brusaferro, durante uma conferência de imprensa.

"Vai demorar alguns dias para vermos os benefícios" das medidas de contenção, disse Brusaferro. "Temos de as manter para vermos os seus efeitos e, acima de tudo, para proteger os mais vulneráveis", defendeu o responsável.

A 12 de março, foi imposto o encerramento da maioria das empresas italianas e foi decretada a proibição de reuniões públicas, duas medidas do governo liderado por Gieseppe Conte que estão previstas expirar a 25 de março. Já o encerramento de escolas e universidades, bem como a proibição de eventos desportivos, entre outras medidas, estão em vigor até ao dia 3 de abril.

Entretanto, um membro do governo sugeriu esta quarta-feira que o fecho das escolas devia ser estendido durante todo o mês de abril, ou mesmo mais, caso a pandemia se mantenha nos próximos meses.

Dois terços das mortes em Itália (1959) foram reportadas no norte da Lombardia, cuja capital é Milão, o centro financeiro do país.

A região vizinha de Emilia-Romagna, em Bolonha, regista um total de 458 mortes e na região de Piemonte, em Turim, já morreram 154 pessoas. A região de Lazio soma 32 mortes e 724 infeções.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG