Irlanda do Norte sob pressão. Médicos já tratam doentes no parque de estacionamento

Os hospitais já superaram a capacidade máxima e as ambulâncias fazem filas à espera que os doentes tenham vaga. Enquanto isso, médicos e enfermeiros improvisam e observam os doentes nas viaturas.

A maioria dos hospitais da Irlanda do Norte estão sob intensa pressão por causa do elevado número de infetados com covid-19, que têm de receber tratamento.

O problema é tão grave que em vários hospitais os médicos são obrigados a tratar de doentes em ambulâncias estacionadas nos parques de estacionamento, pois não existem camas disponíveis dentro das unidades hospitalares.

O limite dos serviços de saúde foi atingido esta terça-feira e o Antrim Area Hospital, situado a noroeste da capital Belfast, era bem o exemplo do ponto de rotura, uma vez que 17 ambulâncias faziam fila no parque de estacionamento, à espera que os pacientes que transportavam fossem tratados.

Aliás, o caos foi de tal ordem que seis dos 12 hospitais destinados a doentes covid-19 estavam a trabalhar acima da capacidade.

Wendy Magowan, diretora dos hospitais dos norte do país, revelou que um um paciente passou a noite dentro de uma ambulância, tendo esperado por 10 horas para ser visto por um médico. "Os cuidados de saúde estão a ser dados nos parques de estacionamento. É possível ver médicos e enfermeiros entrarem e sairem das ambulâncias", assumiu.

No total, 43 pessoas estavam à espera de uma cama no Antrim Area Hospital, enquanto na manhã de terça-feira estavam 21 doentes no Hospital Causeway, em Coleraine, no norte do país, revelou Magowan à agência Press Association. "A pressão tem aumentado", assumiu.

A situação é tão grave que foi solicitado aos utentes que precisem de ir às urgências para telefonarem para receberem orientações em relação ao que fazer, uma vez que não existem capacidade para serem atendidos.

Quem está debaixo de críticas é a primeira-ministra da Irlanda do Norte, Arlene Foster, por ter dado o aval ao plano do governo britânico em diminuir as restrições relativas à covid-19 durante o Natal. Os especialistas de saúde já alertaram para o facto de as hospitalizações no Ano Novo poderem subir em flecha e igualarem o pico da pandemia na Irlanda do Norte, em abril.

Robin Swann, ministro da Saúde da Irlanda do Norte, já veio entretanto dizer que iria propor uma série de novas restrições aos restantes líderes políticos do Reino Unido para conter a propagação do coronavírus.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG