Iraque quer mediar tensão Riade-Teerão

Conflito entre os dois países tem provocado oscilações no preço do petróleo, com o brent a atingir mínimos desde 2004

O Iraque enviou ontem o seu ministro dos Negócios Estrangeiros a Teerão com a oferta de mediar o clima de tensão crescente entre a Arábia Saudita e o Irão. Uma atitude que reflete o receio de Bagdad de que um novo conflito sectário poderá prejudicar a sua luta contra o Estado Islâmico.

A Arábia Saudita e o Irão cortaram relações diplomáticas nesta semana após a execução em Riade, no sábado, do líder religioso xiita Nimr-al-Nimr e posteriores ataques à embaixada saudita em Teerão e ao consulado na cidade iraniana de Mashhad.

O Iraque, onde o governo controlado pelos xiitas está a tentar um entendimento com a minoria sunita ao mesmo tempo que tenta reconquistar o território controlado pelo Estado Islâmico, está assim particularmente vulnerável a qualquer conflito sectário.

"Temos sólidas relações com a República Islâmica do Irão e também relações com os nossos irmãos árabes e por isso não podemos ficar em silêncio nesta crise", declarou ontem em Teerão o líder da diplomacia iraquiana, Ibrahim al-Jaafari, ao lado do seu homólogo iraniano, Mohammad Javad Zarif.

Encontros diplomáticos

Os preços do petróleo têm estado bastante voláteis nesta semana, depois de na segunda-feira terem estado em alta, chegando a negociar nos 38,5 dólares, a refletir as tensões no Médio Oriente entre a Arábia Saudita e o Irão, estão há duas sessões em queda.

Ontem, o petróleo de referência na Europa estava a negociar nos 35,52 dólares o barril, em mínimos desde julho de 2004, com os investidores à espera de dados que indiquem que as reservas de crude nos EUA estão a aumentar. O brent negociado no mercado de futuros de Londres retraiu-se ontem de manhã em torno dos 2,5%, acentuando a perda de 2,2% de terça-feira.

Outra consequência económica desta crise afeta diretamente Teerão, depois de a Tailândia ter anunciado a suspensão temporária do envio de um milhão de toneladas de arroz para o Irão. As autoridades tailandesas vão reunir-se com os representantes diplomáticos dos dois países antes de tomar uma decisão, em fevereiro, sobre a venda de arroz para o Irão, indicaram à EFE fontes do Departamento do Comércio Exterior tailandês.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG