Horacio Cartes antecipa saída da presidência para ser senador

O presidente só devia passar a pasta a Mario Abdo Benítez a 15 de agosto, após cinco anos no poder, mas renuncia antes para poder tomar posse como senador.

O presidente do Paraguai, Horacio Cartes, que devia passar o poder a 15 de agosto ao recém-eleito Mario Abdo Benítez, pondo fim ao mandato de cinco anos, renunciou mais cedo para poder tomar posse como senador a 30 de junho e evitar a dupla acumulação de funções.

"Adotei essa determinação para dar cumprimento à decisão democrática do povo expressa no passado dia 22 de abril, que me elegeu para o cargo de senador para o período de 2018-2023", indicou Cartes na carta de renúncia, que enviou ao presidente do Congresso Nacional, o ex-presidente Fernando Lugo. O Senado deve reunir-se na quarta-feira para aprovar ou rejeitar a demissão.

Caso seja aceite a renúncia, a presidência interina do Paraguai será assumida pela vice-presidente, Alicia Pucheta, até à tomada de posse de Mario Abdo Benítez, a 15 de agosto. Pucheta tinha há dias renunciado às funções como juíza do Supremo Tribunal de Justiça para assumir a pasta de vice-presidente, depois de o vice-presidente Juan Afara também ter renunciado ao cargo para também ser senador.

Pucheta será a primeira mulher a assumir a presidência no Paraguai.

Abdo Benítez, do Partido Colorado (direita) liderado por Cartes, venceu o opositor Efraín Alegre, do partido Liberal, por 3,7 pontos de diferença, nas eleições de 22 de abril.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG