Homem que matou idoso e colocou vídeo no Facebook suicidou-se

Steve Stephens estava a ser alvo de uma autêntica caça ao homem

A polícia do Estado da Pensilvânia, EUA, anunciou esta terça-feira que, "após uma breve perseguição", Steve Stephens, de 37 anos, que matou um idoso e colocou o vídeo no Facebook, suicidou-se.

Stephens foi "descoberto no condado de Erie", indicou a polícia deste Estado do leste dos Estados Unidos numa mensagem divulgada na rede social Twitter.

Estava em curso uma autêntica caça ao homem, em vários estados, depois de Stephens ter morto um homem de 74 anos e ter dito, num vídeo divulgado nas redes sociais, que tinha assassinado mais 13 pessoas.

O chefe da polícia de Cleveland, Calvin Williams, havia dito que as buscas se iam estender aos estados vizinhos do Indiana, Pensilvânia, Michigan e até Nova Iorque.

"Eu matei 13 e neste momento em que estou a falar procuro um 14.º para matar", afirmou Steve Stephens, num vídeo que colocou no Facebook.

Noutro vídeo publicado em direto na mesma rede, vê-se o homem a matar, a tiro, Robert Godwin, um homem de 74 anos que passava na rua, afirmando apenas: "Passei-me".Obrigou Godwin a dizer o nome da sua ex-namorada, antes de disparar e matar o idoso.

Stephens contactou então as autoridades, que pediram para ele se entregar, o que recusou.

A mãe do suspeito disse que no sábado esteve com o filho, que trabalha num centro de apoio psicológico, e que ele afirmou que seria "um milagre" se o voltassem a ver.

Ao saber do crime, a mulher ligou ao filho, que lhe respondeu que estava a disparar contra pessoas aleatoriamente porque estava chateado com a ex-namorada.

As autoridades federais estavam a oferecer uma recompensa na ordem dos 50 mil dólares (cerca de 47 mil euros) para quem prestasse informações para encontrar e deter o suspeito.

Sobre os outros eventuais homicídios cometidos por Steve Stephens, os investigadores policiais não tinham encontrado, até à data, provas que apontassem nesse sentido.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG