Haddad desafia Bolsonaro: "Vou até à enfermaria para debater"

Candidato do Partido dos Trabalhadores quer enfrentar o antigo militar porque "não há como se acobardar num debate". A recuperar de duas cirurgias, Bolsonaro não participou nos debates, mas concedeu uma entrevista transmitida à mesma hora do último debate.

"Ele precisa debater. Estou disposto a ir até uma enfermaria se for preciso para debater o Brasil", declarou Fernando Haddad numa entrevista coletiva a agências de notícias internacionais.

Logo a seguir lembrou que Bolsonaro disse que não pode entrar em stress. "Eu não vou enervá-lo. Vou falar da forma mais calma possível. Vou falar docemente. Não altero a voz. Nem olho para ele se ele ficar com muito receio. Faço o que ele quiser para ele falar", continuou.

O candidato da extrema-direita, vítima de uma facada numa ação de campanha no dia 6 de setembro, e posteriormente sujeito a duas intervenções cirúrgicas, não participou em debate algum.

Bolsonaro vai falhar o primeiro debate entre os dois candidatos, que estava agendado para esta quinta-feira. Dois médicos que fizeram parte da equipa que o acompanhou no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, foram ao Rio de Janeiro reavaliar Bolsonaro. Segundo o Correio Braziliense, o cirurgião e o cardiologista foram da opinião que o militar na reforma não está em condições de participar na campanha eleitoral - debates incluídos.

"A extrema-direita não tem pudores em jogar pesado. Passam por cima da sua honra, da sua família. Eles não querem saber", afirmou o candidato que substituiu Lula da Silva.

Para o antigo autarca de São Paulo, a única forma de esclarecer o eleitorado é com o confronto de ideias: "O peso das fake news é menor se tiver debate. Não há como se acobardar num debate."

Jair Bolsonaro reagiu com desdém no Twitter.

Na entrevista, Haddad defendeu a criação do maior número de alianças possível. O candidato, cuja imagem está colada ao PT, já recebeu o apoio do PSOL e do PSB e tem estado em conversaçõs com o PDT do candidato Ciro Gomes, terceiro classificado da primeira volta das eleições.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG