Grávida morre com covid-19, mas médicos conseguiram salvar a bebé

O caso ocorreu no fim de semana, em Granada. A mãe teria outros problemas de saúde e estava internada há vários dias na unidade de cuidados intensivos. Bebé nasceu prematura, às 30 semanas.

Os médicos do hospital San Cecílio de Granada conseguiram salvar a bebé da grávida de 29 anos que morreu no fim de semana vítima de covid-19, indicaram fontes hospitalares à agência Europa Press.

A bebé, que nasceu prematura, continua internada, tendo tido que ser entubada após a cesariana. A mãe estaria na semana 30 da gestação.

"A doente entrou em paragem cardiorrespiratória e os colegas tentaram como puderam salvá-la, mas não puderam e tiveram que fazer uma cesariana de emergência para evitar o falecimento do bebé", indicaram também fontes ao jornal El Español.

Segundo a mesma fonte, a doente estava internada há alguns dias na unidade de cuidados intensivos por causa da covid-19 e tinha outras comorbilidades. A mulher, que vivia em Granada, tinha outra filha de três anos.

Nas perguntas frequentes no site da Direção-Geral de Saúde sobre a covid-19, lê-se que "nos trabalhos científicos publicados, não existe informação sobre a suscetibilidade de mulheres grávidas à COVID-19". Contudo, "as grávidas sofrem alterações imunológicas e fisiológicas que as podem tornar mais suscetíveis a infeções respiratórias virais, incluindo a COVID-19. Durante a gravidez, as mulheres também podem estar em risco de doença grave, morbilidade ou mortalidade em comparação com a população em geral, como observado em casos de outras infeções relacionadas com coronavírus e outras infeções respiratórias virais, como a gripe (influenza)."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG