O que disseram os terroristas no Bataclan? Um gravador registou tudo

Autoridades francesas revelaram o conteúdo de um gravador que foi deixado no Bataclan e que registou o que foi dito durante o ataque à sala de espetáculos a 13 de novembro

Um gravador deixado no Bataclan permitiu às autoridades francesas ouvirem o que se passou na sala de espetáculos durante o ataque terrorista de 13 de novembro. Entre as ameaças dos terroristas e o pânico das pessoas que assistiam ao concerto dos Eagles of Death Metal, as frases demonstram o que aconteceu naquela noite.

"Isto é um sonho?", pergunta um espectador, com outro a dizer para se baixarem. "Aqueles que tentarem brincar à justiça serão mortos. O momento da vingança chegou", diz um dos terroristas. O gravador foi recuperado após os ataques e poderá ter sido levado para o local por um espetador que pretenderia gravar o concerto, segundo a Sky News.

"Vocês bombardearam os nossos irmãos na Síria e no Iraque. Por que razão estamos aqui? Regressámos da Síria para fazer o mesmo a vocês", afirma um dos terroristas. Mas as ameaças continuaram: "Somos homens e atacamos em terra. Não precisamos de [aviões a] jatos. Vocês elegeram o vosso presidente Hollande e essa foi a campanha dele. Agradeçam isto a ele."

"Conhecem o Daesh? O Daesh é o Estado Islâmico. Eles estão em todo o lado. Em França, nos EUA. Vamos atacar em todo o lado", diz um terrorista.

Dois dos homens armados utilizaram um dos espectadores para falar com a polícia: "Somos reféns. Eles têm cintos com explosivos. Por favor não entrem ou eles vão explodir-se." A Sky News escreve que o telemóvel de um dos reféns é utilizado para falar com a polícia, mas a conversa não corre bem.

As autoridades francesas também revelaram as transcrições da chamada que foi feita para a polícia a alertar para o que estava a acontecer: "Estão muitas pessoas no Bataclan. Foram disparados tiros."

Após a conversa com os terroristas e antes do assalto final da polícia, ouve-se: "Tirem-nos de lá. Isto é mesmo mau."

Nos ataques terroristas em Paris, a 13 de novembro, morreram 130 pessoas. 89 estavam no Bataclan.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG