Governo espanhol retira candidatura de Nadia Calviño ao FMI

Os governos da União Europeia estão neste momento a votar para escolher o seu candidato para a liderança do FMI.

O Governo espanhol retirou a candidatura da ministra da Economia espanhola, Nadia Calviño, à liderança do Fundo Monetário Internacional (FMI), para promover o consenso entre os países da União Europeia em torno de um candidato comum.

"Espanha está sempre disposta a promover o consenso entre os países da União Europeia para escolher uma candidatura comum à liderança do FMI. Assim, anunciamos que o Governo aposta por alcançar um acordo europeu, sem que a ministra de Economia, Nadia Calviño, participe na fase seguinte", informou a Moncloa.

A votação para a designação do candidato europeu à sucessão de Christine Lagarde na liderança do FMI está ainda a decorrer.

Os governos da União Europeia estão neste momento a votar para escolher o seu candidato entre os três que mantiveram a sua candidatura à liderança do FMI: o holandês Jeroen Dijsselbloem, o governador do banco central finlandês, Olli Rehn, e a búlgara Kristalina Georgieva, atual 'número dois' do Banco Mundial.

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, desistiu na quinta-feira à noite de concorrer à eleição para candidato europeu à liderança daquela instituição, justificando a decisão com a tentativa de alcançar um consenso comunitário.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG