Governo espanhol decidiu que Franco vai ser exumado a 10 de junho

Restos mortais do ditador espanhol vão ser levados do Vale dos Caídos para o cemitério El Pardo, onde está sepultada a mulher, Carmen Polo. Família de Franco já levou o caso para o Supremo Tribunal de Espanha

Os restos mortais de Francisco Franco vão mesmo ser exumados do Vale dos Caídos, complexo de edifícios idealizado pelo antigo ditador espanhol, apesar da oposição da sua família. A notícia foi avançada pelo El País e confirmada por Carmen Calvo, número 2 do governo de Pedro Sánchez, após o Conselho de Ministros desta sexta-feira. O plano é que a exumação aconteça a 10 de junho e que os restos mortais sejam transportados para o cemitério El Pardo, a 15 quilómetros de Madrid.

Há cerca de um mês, o executivo espanhol deu um prazo de 15 dias à família de Franco para escolher um local, avisando que a catedral La Almudena estava fora de questão, para evitar homenagens ao antigo chefe de Estado espanhol e também por motivos de ordem pública. A confirmar-se o objetivo do governo espanhol, Franco será sepultado na mesma cripta onde se encontra a mulher, Carmen Polo, explica o El Español.

No entanto, a família de Franco não aceitou o prazo dado pelo governo espanhol e já recorreu para o Supremo espanhol, pedindo que a ação legal tivesse efeitos suspensivos relativamente à exumação. A decisão do executivo espanhol, assente na aprovação do parlamento espanhol, em setembro de 2018, da exumação dos restos mortais do ditador está, assim, dependente da decisão dos magistrados.

O antigo ditador espanhol está sepultado no Vale dos Caídos, a 40 quilómetros de Madrid, um complexo de edifícios de grande dimensão idealizado e erigido por Francisco Franco, com a intenção de homenagear as vítimas da Guerra Civil. O túmulo de Franco está ao lado do fundador do partido fascista Falange, José Antonio Primo de Rivera. Alegando uma "reconciliação" nacional, Franco transferiu os restos mortais de 37 mil vítimas - nacionalistas e republicanos - da guerra civil, para o local que é visto como símbolo da ditadura franquista.

Francisco Franco Bahamonde foi um militar, integrante do golpe de Estado que em 1936 deu início à Guerra Civil Espanhola. Exerceu desde 1938 o lugar de chefe de Estado, até morrer em 1975. Antes de morrer, Franco restabeleceu a monarquia e deixou o rei Juan Carlos como seu sucessor. Coube ao monarca (hoje emérito após abdicar para o filho Felipe) realizar a transição de Espanha para um sistema democrático.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG