"Efeitos catastróficos". Furacão Irma chega esta noite às Antilhas Menores

O furacão Irma, que alcançou a categoria máxima na escala de cinco, vai chegar esta noite às Antilhas Menores, com efeitos "catastróficos", afirmou o diretor de Meteorologia do Centro de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em Inglês).

"A nossa preocupação máxima, a curto prazo, é que temos um furacão devastador com ventos de 285 quilómetros por hora e nas ilhas das Antilhas Menores, onde o impacto vai causar danos catastróficos", afirmou Pablo Santos, em declarações à Efe.

O Irma vai chegar esta noite e durante o início da manhã de quarta-feira primeiro ao norte das Antilhas Menores, ou Pequenas, como também são designadas, concretamente as ilhas Antígua e Barbuda e adjacentes, para seguir de imediato para o norte de Porto Rico e as Ilhas Virgens.

A projeção da trajetória do Irma, a cinco dias, indica que o olho deste furacão "extremamente perigoso" vai passar muito perto da costa norte de Porto Rico, seguindo depois para a ilha onde estão o Haiti e a República Dominicana e para Cuba, fustigando o Estreito da Florida durante o fim de semana, sendo ainda cedo para prever o seu impacto na península norte-americana, acrescentou.

Neste momento, a prioridade para a população de Porto Rico e Antilhas Menores deve ser "completar com urgência todos os preparativos e toda a planificação", perante o avanço deste furacão de categoria 5, que vai manter esta intensidade nos próximos dias.

Insistiu em avisar a população de Porto Rico que a possibilidade de uma deslocação do "olho do furacão pelo mar, fora das costas" não deve levar ao engano, uma vez que os ventos do furacão vão alcançar as zonas povoadas.

Irma é um dos furacões mais intensos de toda a história

Assim, os furacões Allen, Wilma, Gilbert, Mitch e Rita alcançaram ventos máximos sustentados de 289 quilómetros horários, ou superiores, na escala de intensidade de Saffir-Simpson, que um máximo de cinco.

O NHC assinalou no seu boletim, divulgado às 16:00 horas de Lisboa, que o Irma tornou a ganhar intensidade, com ventos de 285 quilómetros horários, à medida que se aproxima das Antilhas Menores e Porto Rico.

Irma é o quarto furacão da temporada de ciclones no Oceano Atlântico.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG