Fundador da IURD diz que foi infetado mas recuperou após tomar hidroxicloroquina

Edir Macedo, 75 anos, foi internado no hospital Moriah, em São Paulo, no dia 8 de junho, devido à infeção pelo novo coronavírus. "Tomei todos os medicamentos indicados pelos médicos, entre eles a hidroxicloroquina, e estou bem", disse o fundador da IURD, que já terá tido alta.

O bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), anunciou esta sexta-feira que foi infetado pelo novo coronavírus, mas recuperou "completamente" após ter tomado hidroxicloroquina.

A informação foi veiculada pelo portal de notícias R7, que é controlado pelo líder religioso.

Edir Macedo, 75 anos, foi internado no hospital Moriah, em São Paulo, no dia 8 de junho, fez tratamento com hidroxicloroquina e "está completamente recuperado da doença", indica a notícia publicada pelo R7, que adiantou que o bispo da IURD recebeu alta esta sexta-feira.

"Tomei todos os medicamentos indicados pelos médicos, entre eles a hidroxicloroquina, e estou bem", afirmou o fundador da Igreja Universal na mesma publicação.

A notícia também citou dois médicos responsáveis pelo tratamento no líder da IURD, Leandro Echenique e Ricardo Teixeira, que atestaram a resposta do paciente ao tratamento.

"[Edir Macedo] evoluiu sem intercorrências, apresentou uma ótima evolução clínica e recuperou-se totalmente", explicou Echenique, que é cardiologista.

O uso da hidroxicloroquina, um tratamento para a malária, para combater a covid-19 tem gerado polémica. Na semana passada, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que seriam retomados os ensaios clínicos com este medicamento para doentes infetados pelo novo coronavírus, após terem sido suspensos por preocupações com a segurança.

Mais de 40 mil mortos no Brasil

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que tem minimizado o impacto da pandemia, é um grande defensor do uso deste medicamento. Também o presidente norte-americano, Donald Trump, defende a hidroxicloroquina, que, aliás, tomou durante mais de uma semana para se proteger contra o novo coronavírus.

O Brasil totaliza 40.919 vítimas mortais desde o início da pandemia, segundo o Ministério da Saúde brasileiro. Em relação aos casos confirmados, o país sul-americano somou um total 802.828 pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus.

Já um consórcio formado pela imprensa brasileira indicou que o país registou 41.058 vítimas mortais e 805.649 casos da doença desde o início da pandemia, números diferentes dos que foram reportados pelo executivo.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 421 mil mortos e infetou mais de 7,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais Notícias