França passa a exigir teste ou testar nos aeroportos passageiros de 16 países

Os passageiros provenientes de 16 países extracomunitários têm de mostrar que residem em França e apresentar um teste negativo ou serão testados nos aeroportos gauleses para poderem entrar no país, anunciaram as autoridades francesas.

A lista de 16 países identificados pelo Conselho de Defesa, que decorreu esta manhã no Palácio do Eliseu ,são Estados Unidos, Bahrain, Panamá, África do Sul, Kuwait, Qatar, Israel, Brasil, Perú, Sérvia, Emirados Árabes Unidos, Argélia, Turquia, Madagáscar, Índia e Omã.

As fronteiras de França estão fechadas com estes países e apenas podem deslocar-se até território gaulês os franceses que residem nesses países e os cidadãos desses países com residência comprovada em França.

Devido à dificuldade de realização de testes nalguns desses países, os aeroportos franceses vão estar equipados para realizar testes a quem está autorizado a viajar logo à chegada, os resultados devem estar disponíveis nas 24 horas seguintes e quem testar positivo será obrigado a fazer quarentena.

"Decidimos generalizar os testes à chegada. Este dispositivo deverá estar pronto nos próximos dias, no máximo, até 1 de agosto", anunciou esta tarde o primeiro-ministro Jean Castex durante uma deslocação ao aeroporto Charles de Gaulle, nos arredores de Paris.

Apenas neste aeroporto, o governante estimou que vão ser realizados 3.000 dias por dia.

As mesmas medidas de despistagem vão ser alargadas também aos portos franceses.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 627 mil mortos e infetou mais de 15,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais Notícias