França. A família espancou-a e rapou-lhe o cabelo. Motivo? Namorava com rapaz sérvio

Uma jovem de 17 anos foi retirada à família e está sob proteção em França depois de ter sido espancada e ter ficado sem cabelo, rapado pelos pais e pelos tios. Tudo por ela ser muçulmana bósnia e o namorado ser um cristão sérvio. Justiça francesa acusa os familiares de violência contra menores.

Os pais, um tio e uma tia de uma adolescente de origem muçulmana da Bósnia vão ser julgados em França por acusações de violência contra uma menor por raparem o cabelo da jovem por causa do seu relacionamento com um rapaz sérvio cristão. Em França rapar o cabelo a uma mulher tem um significado chocante: na década de 1940 era o que se fazia às mulheres francesas que tinham relacionamentos com elementos nazis.

A rapariga de 17 anos teve o cabelo rapado e também foi espancada na cidade de Besançon na segunda-feira, anunciaram fontes judiciais, citadas pela AFP.

"Rapada e espancada porque 'amava um cristão'. Profundamente chocado com este ato de tortura sobre esta jovem de 17 anos", escreveu o ministro do Interior francês, Gerald Darmanin, no Twitter.
"Esta barbárie exige a punição mais severa", acrescentou.

A polícia deteve os pais, o tio e a tia. Foram libertados sob controlo judicial, mas estão proibidos de entrar em contacto com a rapariga, que foi colocada sob proteção. A família agora não sabe do seu paradeiro.

Serão julgados por "violência contra menores", disse à AFP a procuradora-adjunta Margaret Parietti.

"Não pode casar com um cristão"

A jovem, que chegou da Bósnia-Herzegovina há dois anos com a família, mantinha há vários meses uma relação com o rapaz de 20 anos de origem sérvia que vivia no mesmo edifício.

"As duas famílias conheciam-se e (o seu relacionamento) não era um problema, mas quando começaram a falar sobre casamento, os pais da menina disseram a ela: 'Somos muçulmanos, não podes casar com um cristão'", disse Parietti.

A família retirou o telemóvel à jovem e impediu-a de contactar o namorado. A dupla então fugiu durante quatro dias e, ao regressar, foi ao apartamento da família da adolescente junto com os pais dela.

"O primeiro golpe veio da mãe, depois rebentou a violência. Ela foi levada para um quarto e espancada. O seu cabelo foi rapado, segundo o seu depoimento, pelo tio - irmão do pai - enquanto era espancada", explicou a procuradora.

Os pais do jovem sérvio disseram que não ousaram intervir, mas o rapaz saiu de casa para relatar às autoridades o que tinha acontecido.

A polícia entrou em ação e descobriu que a menina tinha sido obrigada a esconder-se num quarto pela sua tia. Depois de encontrada, foi levada ao hospital, informou o jornal Est Republicain.

A adolescente tinha uma costela partida e hematomas "por toda parte", principalmente "na zona da orelha", segundo Parietti.

Barbear a cabeça, neste contexto, tem um significado particularmente chocante em França. Foi a punição após a Segunda Guerra Mundial infligida a milhares de mulheres que mantinham relações com ocupantes nazis.

A guerra étnica da Bósnia de 1992-1995 colocou muçulmanos, sérvios e croatas uns contra os outros e deixou 100.000 mortos e mais de dois milhões desalojados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG