Forças de segurança jordanas encerram sede da Irmandade Muçulmana em Amã

As relações entre as autoridades jordanas e a Irmandade Muçulmana têm sido tensas desde há vários anos

As forças de segurança jordanas invadiram hoje a sede da Irmandade Muçulmana em Amã e fecharam as instalações, indicaram à agência EFE fontes do grupo islamita.

Todas as pessoas que se encontravam dentro da sede, situada no bairro de Abdali, na capital jordana, foram obrigadas a sair.

As relações entre as autoridades jordanas e a Irmandade Muçulmana, cujo braço político é o principal partido da oposição, são tensas desde há anos e têm vindo a degradar-se recentemente.

Em fevereiro último, o grupo islamita da oposição tinha já denunciado o encerramento da sua sede na cidade costeira de Aqaba, no sul do país.

O porta-voz do grupo, Muaz Jawaldeh, afirmou na altura à comunicação social que a medida era "arbitrária" e contrária à lei e à separação dos poderes na Jordânia.

Na mesma cidade, tinha já sido fechada a sede do partido afeto à organização, a Frente de Ação Islâmica (FAI), em consequência de uma disputa entre fações rivais do partido.

Em março de 2015, uma fação dos Irmandade Muçulmana, liderada por Abdel Mayid Zuneibat, separou-se do partido, formando a "Sociedade da Irmandade Muçulmana" e justificou a decisão como uma forma de se desvincular da Irmandade Muçulmana egípcia, um grupo considerado terrorista pelo Egito e por outros países árabes.

Em finais do mês passado, a organização informou, por outro lado, que foi impedida pelas autoridades jordanas de realizar eleições internas, previstas para este mês de abril.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG