Fillon indiciado por desvio de fundos públicos

Candidato às presidenciais francesas reafirmou esta semana que não iria desistir da corrida

O candidato presidencial francês François Fillon foi esta terça-feira formalmente indiciado por desvio de fundos público, apropriação indevida de fundos, segundo a Reuters, que cita a procuradoria francesa.

A acusação surge na sequência do escândalo dos supostos falsos empregos que Fillon, de 63 anos, teria dado à mulher, Penelope Fillon, e a dois filhos. O candidato conservador é ainda acusado de contrapartida financeira do uso indevido de fundos públicos e declaração incorreta de rendimentos.

A notícia foi avançada inicialmente pelo jornal satírico Le Canard Enchaine, o mesmo que revelou que o político teria acumulado cerca de 800 mil euros com os alegados salários ao longo de uma década.

François Fillon compareceu hoje perante os juízes para ser formalmente acusado, audição que estava prevista para quarta-feira, mas foi antecipada para "poder ser feita em condições de serenidade", segundo um dos advogados, Antonin Lévy.

Esta semana, Fillon reafirmou que não vai desistir da corrida presidencial e disse estar a ser vítima da "instrumentalização" da justiça.

"Disse que se fosse [considerado] culpado não seria candidato, mas a condição era que as circunstâncias dessa culpa fossem normais", disse Fillon, num entrevista à radio Europe 1.

Depois de uma investigação preliminar aberta em 25 de janeiro, a procuradoria decidiu avançar com este inquérito judicial sobre a obtenção de alegados falsos empregos no parlamento por parte de Fillon para a sua mulher e dois filhos

Também esta semana foi revelado que Fillon terá recebido fatos por medida no valor de 48.500 euros de um "amigo generoso".

Com Lusa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG