Fica prisão preventiva o alegado autor de ataque na rua de Rosiers em Paris

Abou Zayed está indiciado de ter assassinado três pessoas e ferido 22 num atentado há 38 anos. O palestiniano naturalizado norueguês chegou ontem a França para ser julgado.

Walid Abdulrahman Abou Zayed, um dos alegados autores do ataque na rua de Rosiers, em Paris, há 38 anos, foi colocado em prisão preventiva perante acusações de assassinato.

Abou Zayed, que terá matado seis pessoas e ferido 22, foi este sábado apresentado a um juiz de instrução do polo antiterrorista do Tribunal Judicial de Paris, que o indiciou por "assassinatos" e "tentativas de assassinato", adiantou fonte judicial à Agência France Press (AFP).

O alegado autor de ataque na rua de Rosiers chegou a França esta sexta-feira, vindo de Oslo, e foi levado para um centro de detenção administrativa, depois de, em 27 de novembro, o governo norueguês ter autorizado a sua extradição.

Zayed, também conhecido como Osman, um palestiniano naturalizado norueguês em 1997, tentou, até à altura, evitar a extradição, mas esta acabou por ser validada por todas as instâncias judiciais e pelo executivo de Oslo. "Não gosto de França. Não quero ir para a prisão em França", afirmou, em setembro, quando foi presente à justiça norueguesa.

O agora detido defende estar inocente, garantindo que estava em Monte Carlo, no Mónaco, na altura do ataque, a 9 de agosto de 1982, quando um grupo de três a cinco homens atirou uma granada para o interior do restaurante Jo Goldenberg, no histórico bairro judeu de Paris, e disparou contra os transeuntes.

A operação foi atribuída ao Conselho Revolucionário Fatah, de Abu Nidal, um grupo dissidente palestiniano da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG