FBI desbloqueia iPhone do autor do tiroteio de San Bernardino

Em 2 de dezembro de 2015, 14 pessoas foram mortas e outras 22 feridas na Califórnia.

A guerra judicial entre a Apple e o FBI no caso do iPhone de San Bernardino acabou. O FBI anunciou, esta segunda-feira, ter sido capaz de desbloquear o iPhone de um dos autores da tragédia, da Califórnia, motivo pelo qual pediu à Justiça americana que anulasse a ordem contra a Apple.

"A decisão de pôr fim ao litígio está baseada no único fato de que, com a assistência de uma terceira parte, fomos capazes de desbloquear o iPhone sem comprometer a informação que contém o telefone", explicou o Departamento de Justiça em comunicado.

Em 2 de dezembro de 2015, 14 pessoas foram mortas e outras 22 feridas na Califórnia, resultado de um atentado, que ficou conhecido como "O massacre de San Bernardino".

A juíza federal norte-americana Sheri Pym ordenou que a Apple colaborasse com o FBI e desbloqueasse o iPhone 5C de Syed Farook"s, um dos autores do atentado, depois de a polícia alegar que o encontrou e que poderia conter informações cruciais para a investigação.

A Apple recusou a ordem judicial e alegou que se tratava de "uma medida sem precedentes", considerando a ação "uma ameaça à segurança de seus usuários". Desde então as duas partes lutavam na justiça.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG