FBI interceta mais um engenho explosivo. Trump pede aos media que parem com "hostilidades"

O Presidente norte-americano, Donald Trump, voltou a condenar os pacotes com engenhos explosivos endereçados a Hillary Clinton e Barack Obama e pediu aos media para "pararem com as hostilidades". Faltam duas semanas para as eleições intercalares nos EUA

Depois dos envelopes enviados para as residências de Hillary Clinton, Barack Obama, George Soros e para a redação de Nova Iorque da CNN, o FBI anunciou a interceção de dois engenhos explosivos similares endereçados à congressista democrata Maxine Waters.

"Confirmamos agora dois engenhos adicionais, ambos endereçados à representante Maxine Waters, que são similares em aparência", aos cinco outros explosivos apreendidos anteriormente, pode ler-se na página oficial da rede social Twitter do FBI, divulgado quarta-feira à noite.

Maxine Waters, congressista democrata afro-americana, eleita pelo estado da Califórnia, tem sido uma forte crítica da administração Trump.

"Qualquer ato ou ameaça de violência política é uma ameaça à nossa democracia. Nenhuma nação poderá ser bem-sucedida se tolerar a violência ou a ameaça de violência como um método de intimidação política ou coerção", afirmou Donald Trump em Wisconsin, durante um comício de apoio às campanhas do governador Scott Walker e da senadora estadual Leah Vukmir.

Por outro lado, o líder norte-americano criticou os media, que segundo ele têm responsabilidades no clima crispado que o país vive. "Os media têm a responsabilidade de definir um tom civilizado e acabar com a hostilidade interminável, ataques constantes e notícias negativas e às vezes falsas" disse.

Durante a quarta-feira, os "pacotes suspeitos" dirigidos a Hillary Clinton e a Barack Obama, foram intercetados pelo serviço federal norte-americano encarregado da sua proteção, pelo que não chegaram às mãos dos destinatários, indicaram os serviços secretos em comunicado.

De acordo com o diário The New York Times, que cita as forças da ordem, os dispositivos são semelhantes àquele que foi encontrado e detonado pela polícia na segunda-feira na residência do multimilionário e filantropo George Soros - outro famoso democrata -, em Bedford, a cerca de 60 quilómetros de Nova Iorque.

O Departamento de Segurança Nacional, do qual dependem os serviços secretos, indicou em comunicado que os pacotes foram "de imediato identificados como potenciais engenhos explosivos durante procedimentos de rotina de verificação do correio e foram tratados como tal".

Também as instalações da CNN no edifício Time Warner, em Manhattan, foram evacuadas perante a ameaça de uma possível bomba.

Segundo a informação avançada pela estação televisiva norte-americana, o pacote tinha selos dos correios, mas foi entregue por um estafeta. Estava endereçado a John Brennan, antigo diretor da CIA, e a Time Warner (CNN).

O ataque concertado contra políticos democratas e media acontece duas semanas antes das eleições intercalares nos EUA.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG