Famílias de italianos mortos por covid-19 exigem 100 milhões de euros ao governo

Um movimento de cidadãos da Lombardia acusam o executivo de Giuseppe Conte e o governo regional de terem demorado a responder ao início da pandemia.

Cerca de 500 cidadãos italianos, na sua maioria residentes na província da Lombardia, a mais afetada pela primeira vaga da pandemia de covid-19, deram entrada com uma ação em tribunal onde reclamam uma indemnização de 100 milhões de euros pela morte dos seus familiares por causa da doença.

A ação deu entrada num tribunal de Roma e estava a ser preparada desde abril, altura em que este movimento nasceu sob o lema "Nós denunciaremos - Verdade e justiça pelas vítimas da covid-19". Nasceu um site na internet, onde este grupo de cidadãos explica que se formou pela necessidade de "dar paz" aos mortos que "não tiveram um funeral digno". E, nesse sentido, avisam: "Aqueles que erraram terão de responder às nossas questões e assumir as suas responsabilidades. Pedimos justiça."

O líder deste movimento, Luca Fusco, afirmou no ato da entrega na ação da justiça que este "é o presente de Natal para todos os que deveriam ter feito o que era certo, mas não fizeram". É que, além dos milhares de mortos associados à doença, o governo de Giuseppe Conte é acusado de ter demorado a responder no início da pandemia e que isso obrigou a um confinamento nacional em Itália, o que originou enormes prejuízos económicos.

"Vamos pedir uma indemnização de 259 mil euros por cada pessoa que faleceu, num total de 100 milhões de euros", explicou o movimento, sublinhando que a ação visa o primeiro-ministro Giuseppe Conte o ministro da Saúde, Roberto Speranza, e ainda Attilio Fontana, governador da Lombardia.

Itália é o quinto país do mundo com mais mortes causadas pela covid-19, contabilizando quase 70 mil óbitos, sendo que só na Lombardia foram registados mais de 24 mil mortos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG