"Falhado" vs. "palhaço de feira". Guerra entre Trump e Bloomberg sobe de tom

Donald Trump recorreu ao Twitter para chamar "falhado" a Bloomberg. O pré-candidato dos democratas respondeu na mesma linha e definiu o presidente americano: "um palhaço de feira" que "herdou uma fortuna" e conseguiu "arruiná-la com a sua incompetência".

Michael Bloomberg é um "falhado"; Donald Trump é um "palhaço de feira": o tom agressivo subiu na disputa entre o presidente dos Estados Unidos e o pré-candidato presidencial democrata, que tem registado uma subida nas sondagens mais recentes.

Trump, que buscará a reeleição nas eleições presidenciais de novembro, tem atacado cada vez mais o ex-autarca de Nova Iorque, um milionário, a quem Trump se dirige como "Mini Mike", devido ao seu tamanho - Bloomberg é um homem de baixa estatura.

"Mini Mike Bloomberg é um falhado com dinheiro, mas não sabe debater, não tem nenhuma presença, vocês vão ver", tuitou Trump esta quinta-feira.

Depois Trump voltou à carga, sempre no Twitter, escrevendo que Bloomberg detesta Bernie Sanders e que, como tem dinheiro, fará tudo para o travar. "O pessoal de Bernie vai ficar maluco", diz Trump.

Trump já havia acusado a Bloomberg de racismo ao retuitar na terça-feira um excerto de uma gravação de 2015, em que o ex-presidente da Câmara de Nova Iorque justificava uma política de controlo policial sobre as minorias; Bloomberg já pediu desculpas por essa política em novembro, antes de iniciar a disputa pela nomeação presidencial democrata e respondeu esta quinta-feira na mesma rede social.

"@realDonaldTrump - Conhecemos muitas pessoas em comum em Nova Iorque. Elas riem-se nas suas costas e chamam-no de palhaço de feira", escreveu. "Sabem que você herdou a sua fortuna e a arruinou com os seus planos estúpidos e a sua incompetência. Tenho a experiência e os recursos para derrotá-lo. E vou derrotá-lo".

A média das sondagens em todo o país colocam Michael Bloomberg em terceiro lugar entre os democratas, atrás do senador Bernie Sanders e do ex-vice-presidente Joe Biden.

Além disso, Bloomberg é cada vez mais alvo de críticas dos rivais, que o acusam de querer "comprar a eleição".

O magnata decidiu não participar das quatro primeiras etapas da corrida democrata para conseguir delegados na comissão de julho, que decidirá quem será o adversário de Trump nas eleições presidenciais.

De momento, Bloomberg concentra-se nos 14 estados que vão realizar as primárias na "Super terça-feira", de 3 de março, incluindo Texas e Califórnia, que fornecem um grande número de delegados.

Mais Notícias