5 mil anos anos de prisão para ex-militar que participou em massacre

Santos Lopez Alonzo, que foi deportado dos EUA, é acusado de pertencer a um esquadrão da morte

Um tribunal da Guatemala condenou um ex-militar deportado dos Estados Unidos da América a 5.130 anos de prisão por um massacre, executado em 1982, de 171 aldeãos.

O tempo máximo que alguém pode estar preso na Guatemala é 50 anos.

Santos Lopez Alonzo é acusado de pertencer a um esquadrão da morte, que organizou aquela matança, em 07 de dezembro de 1982, na localidade nortenha de Dos Erres.

Um tribunal declarou na quarta-feira que Lopez Alonso, agora com 66 anos, era culpado de assassínio e crimes contra a humanidade. Este ex-soldado também raptou e adotou um rapaz de cinco anos, cuja família assassinou.

Segundo uma comissão de apuramento da verdade patrocinada pela Organização das Nações Unidas, cerca de 250 mil pessoas foram assassinadas e outras 45 mil desapareceram durante a guerra civil no país, entre 1960 e 1996.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG