EUA vão comercializar o primeiro teste à covid-19 sem receita médica

A decisão da Agência dos Medicamentos dos Estados Unidos vai permitir às pessoas saberem se estão infetadas depois de fazerem um teste em casa.

A Agência dos Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos autorizou esta terça-feira o primeiro teste caseiro de covid-19, que pode ser comprado sem receita, uma medida que os especialistas em saúde pública dizem tratar-se de uma ferramenta chave no combate à pandemia.

O teste de antígeno de 20 minutos foi produzido pela empresa australiana Ellume e pode ser utilizado a partir dos 16 anos, mas também pode ser realizado às crianças a partir dos dois anos, desde que a amostra seja retirada por um adulto.

Especialistas em saúde pública têm defendido a distribuição por milhões de famílias desses testes rápidos de antígeno sem receita, argumentando que os resultados quase instantâneos permitem às pessoas entrarem de imediato em quarentena assim que sabem que estão infetadas.

O funcionamento do teste é simples, pois as pessoas só têm de usar um cotonete nasal com um comprimento médio para obter uma amostra.

O teste identificou corretamente 100% das amostras como sendo negativas e 96% das amostras positivas de pessoas com sintomas. Nas pessoas sem sintomas, foram identificadas 91% das amostras positivas e 96% das amostras negativas.

O FDA alerta, no entanto, para que as pessoas assintomáticas com um resultado positivo do teste devem fazer um segundo teste para confirmar que estão infetadas, sobretudo se não houver casos de covid-19 na sua comunidade.

"Este teste, como outros testes de antígeno, é menos sensível e menos específico do que os testes moleculares típicos executados num laboratório", assumiu o diretor de dispositivos médicos da FDA, Jeff Shuren, em comunicado. "No entanto, o facto de se poder usar em casa e ter os resultados rapidamente significa que pode desempenhar um papel importante na resposta à pandemia", sublinhou.

Os resultados do teste são entregues através de uma aplicação de smartphone depois de os pacientes inserirem o seu código postal e a data de nascimento. É importante destacar que a aplicação também envia os resultados às autoridades de saúde pública.

Scott Gottlieb, ex-comissário da FDA, disse ao portal Politico que os testes sem receita podem tornar-se numa estratégia de rotina para reabrir escolas e locais de trabalho. "Os consumidores ainda precisam ser devidamente educados sobre o potencial destes testes de antígeno, que pode ser a chave para controlar a propagação do vírus", disse.

Até ao momento, o FDA tinha autorizado apenas um outro teste caseiro, produzido pela Lucira Health, que no entanto requer uma receita médica. Na semana passada, a LabCorp obteve autorização de emergência para um kit de teste direto ao consumidor que permite aos pacientes enviar uma amostra para um laboratório sem receita.

Refira-se que o teste de Ellume recebeu 24,6 milhões de euros de financiamento para o desenvolvimento deste projeto, sendo que o preço deste teste para o público rondará os 30 dólares (quase 25 euros). A empresa australiana prevê enviar para os Estados Unidos 20 milhões de testes durante o primeiro semestre de 2021.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG