EUA insistem que líder do Estado Islâmico continua vivo

"Estamos a procurá-lo todos os dias", diz o comandante da coligação internacional que combate o grupo terrorista

O comandante da coligação internacional que combate o grupo extremista Estado Islâmico (EI) afirmou que aquelas forças procuram "todos os dias" o líder do EI, Abu Bakr al-Baghdadi, porque acreditam que "não está morto".

"Estamos a procurá-lo todos os dias", reiterou na quinta-feira o general norte-americano Stephen Townsend, numa conferência ao telefone com jornalistas a partir de Bagdade.

O general reconheceu que "alegrá-lo-ia" capturar Al-Baghdadi, mas admitiu que ficaria "igualmente satisfeito" com a sua morte.

"Quando o encontrarmos, acredito que tentaremos matá-lo primeiro, provavelmente não vale a pena tanto incómodo para tentar capturá-lo. É a minha opinião pessoal", indicou Stephen Townsend.

Em meados de junho, a Rússia afirmou que a possibilidade Abu Bakr al-Baghdadi ter morrido num bombardeamento da força aérea russa efetuado no mês anterior, no sul da Síria, era "próxima dos 100%".

O Pentágono, contudo, não deu por garantidas essas informações que davam Al-Bagdadi como morto. Em julho passado, o secretário da Defesa norte-americano, James Mattis, declarou assumir que o líder do EI continuava vivo.

"Enquanto não vir o seu corpo vou assumir que está vivo", afirmou Mattis.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG