EUA condenam expansão de colonatos de Israel

Departamento de Estado norte-americano considera construção de novas casas nos colonatos contraproducente para a causa da paz em geral

Os EUA condenaram hoje o "processo sistemático" de Israel para se apropriar de terras palestinianas, depois de o Governo israelita ter anunciado a construção de 800 casas em colonatos, que, segundo Washington, mina o processo de paz.

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, John Kirby, comentou a informação de que Israel aprovou um concurso público de 800 novas casas em colonatos judeus na "Cisjordânia e em Jerusalém Este".

"A ser verdade, essa informação é o último passo no que parece ser um processo sistemático para se apropriar de terras, expandir colonatos e legalizar postos fronteiriços que está a minar fundamentalmente as perspetivas de uma solução de dois Estados", disse Kirby na sua conferência de imprensa diária.

"Opomo-nos a este tipo de medidas, que consideramos contraproducentes para a causa da paz em geral. Estamos profundamente preocupados com a construção e expansão de colonatos em Jerusalém Este e Cisjordânia e a designação de terras na Cisjordânia para o uso exclusivo israelita", acrescentou.

Kirby recordou que o comunicado publicado na semana passada pelo Quarteto do Médio Oriente (EUA, Rússia, ONU e UE) destaca que "desde o princípio do processo de Oslo, em 1993, a população dos colonatos aumentou para mais do dobro e para o triplo no caso da área C", uma zona da Cisjordânia delimitada e identificada nos Acordos de Oslo com sendo de transição, antes da criação de um Estado palestiniano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG