EUA anunciam medidas para reduzir emissões de gás metano

Em 2013 as emissões de metano aumentaram o equivalente a 721,5 milhões de toneladas métricas, com a indústria petrolífera como principal fonte emissora

O governo dos EUA anunciou na quinta-feira novas normas para evitar a emissão de 11 milhões de toneladas métricas de gás metano até 2025, regulação que tenciona ampliar.

A Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em Inglês) anunciou um conjunto esperado de regulamentações que vão afetar todas as explorações de petróleo e gás novas ou que beneficiem de melhorias.

Esta foi a primeira vez que o governo do Presidente Barack Obama apresentou este tipo de regulamentações para conter as emissões de gás metano, o segundo maior causador das alterações climáticas, depois do dióxido de carbono.

"Vamos combater as alterações climáticas e reduzir a poluição atmosférica que prejudica a saúde pública", afirmou, em conferência de imprensa, a administradora da EPA, Gina McCarthy.

As regulamentações têm uma importância especial quando as explorações de gás e petróleo não convencional (de xisto) tinham começado a generalizar-se nos EUA, o que perdeu ímpeto com a descida do preço do petróleo.

Os EUA calculam que em 2013 as emissões de metano aumentaram o equivalente a 721,5 milhões de toneladas métricas, com a indústria petrolífera à frente da pecuária como principal fonte emissora.

A indústria petrolífera opõe-se às regulamentações com o argumento de que o autocontrolo é suficiente para conter as emissões.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG