Estrela de Donald Trump no Passeio da Fama vandalizada... outra vez

Um homem munido de uma picareta destruiu a homenagem a Trump, quando o atual Presidente dos EUA era a estrela do programa "The Apprentice"

A estrela de Donald Trump no Passeio da Fama de Hollywood foi destruída esta quarta-feira de manhã por um homem com uma picareta.

O atual Presidente dos EUA recebeu a estrela em janeiro de 2007 devido ao seu papel de anfitrião no programa da NBC, "The Apprentice". A estrela foi encontrada partida, de acordo com Ray Brown, porta-voz do Departamento da Polícia de Los Angeles, citado pelo New York Times.

De acordo com testemunhas, o suspeito terá retirado a picareta de um estojo de viola, tendo, em seguida, partido a estrela, situada no bloco 6800 de Hollywood Boulevard, perto da Highland Avenue. Depois do ato de vandalismo, abandonou o local, deixando a picareta no local, conta a NBC.

O incidente foi captado pelas câmaras de vídeo vigilância e, pouco depois, o suspeito acabou por se entregar à polícia, informou a Câmara de Comércio de Hollywood, através de comunicado.

Ray Brown confirmou que o suspeito se encontra detido e o Hollywood Historic Trust já informou que irá reparar a estrela.

Já antes aconteceu

Esta não é a primeira vez que a estrela de Donald Trump em Hollywood foi vandalizada. Em 2016, um homem destruiu com um martelo as letras douradas que formam o nome do então candidato republicano às presidenciais norte-americanas, visado então por acusações de assédio sexual.

Um homem identificado como James Otis declarou a vários media locais ter atacado, a golpes de picareta e martelo, a estrela no Passeio da Fama de Hollywood, em Los Angeles, para protestar contra os maus tratos sexuais de que Trump é acusado por várias mulheres.

Otis tencionava inicialmente extrair a estrela, e levá-la a leilão e reverter a receita para as mulheres que acusam o magnata de assédio ou abusos.

Em 2015, o jornalista Hunter Schwarz escrevia no twitter: "alguém colocou um X na estrela de Donald Trump no Passeio da Fama de Hollywood".

"As pessoas que têm problemas com Donald Trump não os deviam expressar no Passeio da Fama", disse, na altura, Leron Gubler, diretor da Câmara de Comércio de Hollywood, através de um comunicado enviado à AFP.

Mais Notícias