Estátua de Cristóvão Colombo foi decapitada em Boston

O monumento ao descobridor das Américas foi vandalizado durante a noite, seguindo a vaga de protestos anti-racistas. Outra estátua de Colombo, na Virginia, foi derrubada e lançada a um lago.

Uma estátua de Cristóvão Colombo, em Boston, foi decapitada, numa altura em que pedidos para remover esculturas em comemoração de colonizadores e esclavagistas varrem os Estados Unidos e outros países europeus durante a vaga de protestos anti-racismo.

Uma estátua de Colombo também foi vandalizada em Richmond, na Virgínia, esta semana, segundo relatos locais.

Os incidentes acontecem quando a pressão aumenta nos Estados Unidos para livrar o país de monumentos associados ao racismo após manifestações massivas pelo assassinato de George Floyd por um polícia branco em Minneapolis no mês passado.

O explorador Cristóvão Colombo, aclamado em livros escolares como o descobridor de "O Novo Mundo", é considerado por muitos como um estímulo para anos de genocídio contra grupos indígenas nas Américas.

Tem sido denunciado regularmente de maneira semelhante aos generais da Guerra Civil do sul pro-escravidão.

A estátua - que fica num pedestal no coração de Boston - é controversa há anos, como outras estátuas de Colombo nos EUA, e já tinha sido vandalizada no passado.

A polícia de Boston foi alertada sobre os danos logo depois da meia-noite de terça-feira, disse um porta-voz à AFP. Uma investigação está em curso, mas ninguém foi detido, acrescentou.

Uma atleta que corria na zona da estátua esta quarta-feira disse que aprovou a decapitação. "Saindo dos protestos da Black Lives Matter, acho bem aproveitar este momento", disse à AFP, sem dar o nome.

"Assim como os negros deste país, os indígenas também foram prejudicados. Acho que este movimento é bastante poderoso e isto é muito simbólico", acrescentou.

Ao longo dos anos, dezenas de cidades americanas substituíram o "Dia de Colombo" em outubro - que se tornou um feriado federal em 1937 - por um dia de homenagem aos "povos indígenas".

Mas não Boston ou Nova Iorque, que têm grandes comunidades de origem italiana.

O autarca de Boston, Marty Walsh, condenou a decapitação, mas acrescentou que a estátua será removida, enquanto se aguarda uma decisão sobre o seu futuro, informou a imprensa local.

Na Virgínia, os manifestantes usaram cordas para derrubar a estátua de 2,44 metros e depois lançaram-na a um lago próximo, disse o Richmond Times-Dispatch.

Um procedimento semelhante a um incidente em Bristol, Inglaterra, no domingo, quando manifestantes derrubaram uma estátua de um comerciante de escravos e a atiraram à água num porto durante protestos anti-racismo.

Mais Notícias