Estado Islâmico sequestra cerca de 400 pessoas na cidade de Deir Ezzor

Mais 135 pessoas terão sido mortas durante ataque à cidade síria

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico sequestrou cerca de 400 civis, entre os quais mulheres e crianças, depois de um ataque no sábado à cidade de Deir Ezzor, na Síria, durante o qual matou 135 pessoas, divulgou hoje uma organização não-governamental.

O diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahmane, disse à agência de notícias francesa AFP que os cerca de 400 civis foram levados do bairro de Al-Baghaliyeh e outros próximos para as regiões controladas pelo Estado Islâmico (EI).

Entre os sequestrados "incluem-se mulheres, crianças, famílias e combatentes pró-regime", disse o responsável da ONG.

Os sequestrados foram levados para outras regiões sob o controle dos 'jihadistas' no oeste da província de mesmo nome (Deir Ezzor) e para província vizinha de Raqa, acrescentou Rahmane.

No sábado, o EI lançou uma grande ofensiva em várias áreas da cidade da província de Deir Ezzor, tomando o controlo de Al-Bgheliyeh (nordeste), onde matou pelo menos 85 civis e 50 combatentes pró-regime, a maior parte executados, de acordo com o OSDH.

A agência oficial de notícias síria Sana citou moradores que denunciaram um "massacre" com "300 civis mortos".

De acordo com o OSDH, a ofensiva permitiu que a organização 'jihadista' avançasse no norte da cidade de Deir Ezzor, controlando cerca de 60% da área.

Esta manhã, as forças do regime combatiam no noroeste da cidade, enquanto os subúrbios de Al-Bgheliyeh foram alvo de ataques aéreos noturnos de aviação da Rússia, aliada do regime do Presidente Bashar al-Assad, de acordo com OSDH.

O regime controla zonas de Deir Ezzor e um aeroporto militar nas proximidades, apesar dos repetidos ataques de EI.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG