Desmontam ponte do século XIII para permitir passagem de navios maiores

Pont des Trous na cidade belga de Tournai começou a ser desmantelada na sexta-feira. A obra deve ficar pronta esta segunda à noite, com as pedras a serem levadas para limpeza antes de voltarem a ser montadas noutro local em 2020.

Passava pouco das 6.00 de sexta-feira quando os bulldozers começaram a desmontar a Pont des Trous em Tournai, na Bélgica. A ponte do século XIII, em estilo gótico, há muito aguardava o início das obras, que visam alargar o canal que atravessa a cidade belga de forma a permitir a passagem de navios de maior porte.

Para tal, os três arcos da ponte estão a ser desmontados, numa empreitada que gerou protestos dos moradores e que deverá ficar terminada ao final do dia de segunda-feira. Entre a pequena multidão que se juntou para assistir ao início da desmontagem estava a ministra da Energia belga, Marie-Christine Marghem.

Natural da cidade, a ministra escreveu no Facebook lamentar a "falta de empatia" das autoridades locais para com os habitantes. "Porque um tournaisino vive as alegrias e as tristezas da sua cidade, estou aos pés da Tour des Trous desde o nascer do sol para ver como os desmancha-prazeres institucionais atacam um monumento, sob o olhar das pequenas potências locais".

Marghem criticou ainda o facto de as pedras não estarem a ser numeradas, o que dificultará a montagem futura da estrutura.

Construído entre 1281 e 1304, o Pont des Trous (literalmente Ponte dos Buracos) é uma das poucas pontes do século XIII ainda existentes no mundo. Bombardeada e parcialmente destruída durante II Guerra Mundial, os arcos centrais foram reconstruído e alargados em 1947. Apenas as torres, uma em cada margem do rio L'Escaut, são originais.

A reconstrução dos arcos era considerada necessária no âmbito de um projeto de ampliação do canal, para o ligar ao Sena. As autoridades de Tournai pretendem permitir a passagem de navios com mais de duas mil toneladas. O limite atual é de 1500 toneladas.

Uma petição para travar o projeto chegou às 20 mil assinaturas, mas a obra avançou mesmo. O objetivo é voltar a montar a ponte mantendo o traçado original, mas com uns arcos maiores. Até lá, as pedras estão a ser levadas para um local fora da cidade, onde vão aguardar o início das obras de reconstrução, previstas para 2020. Os novos arcos deverão ficar prontos em finais de 2021.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG