Esta é a Gertrude. É uma porca e tem um chip no cérebro

A médio prazo, garante Elon Musk, estes chips poderão ser usados para curar doenças como a demência, Parkinson ou lesões da espinal medula.

Elon Musk apresentou Gertrude, uma porca que tem um chip de computador do tamanho de um moeda no cérebro. O objetivo do milionário dono da Tesla e da Space X é mostrar que os seus planos para criar um interface que funcione entre o cérebro e a máquina estão no bom caminho.

"É uma espécie de Fitbit implantado no seu cérebro com pequeno fios", explicou Musk num webcast. A sua start-up Neuralink apresentou um projeto para realizar testes em humanos no ano passado.

O objetivo do projeto é ambicioso: permitir a pessoas com problemas neurológicos controlar os computadores ou os telemóveis com a sua mente.

A médio prazo, garante Musk, estes chips poderão ser usados para curar doenças como a demência, Parkinson ou lesões da espinal medula.

Mas a ambição final do milionário é chegar a uma era de "conhecimento sobre-humano", capaz de combater a inteligência artificial que Musk acredita vir a ser tão poderosa que ameaça destruir a raça humana.

Gertrude foi uma de três porcos que surgiram no Webcast de sexta-feira. De inicio, o animal esteve muito quieto, mas quando começou a comer e a cheirar a palha à sua volta, os gráficos mostraram a sua atividade neurológica. O chip no seu cérebro enviou sinais de atividade neurológica.

No último ano ano, Musk e a sua equipa têm trabalhado para tornar o chip da Neuralink mais pequeno e mais simples. "Encaixa bastante bem no crânio. Podia estar debaixo do seu cabelo e nem iam dar por nada", explicou o milionário.

Fundada em 2017, a Neuralink tem procurado recrutar cientistas desde então.

O chip que a empresa desenvolveu consiste numa sonda minúscula com mais de 3000 elétrodos ligados a fios de cobre flexíveis mais finos do que um fio de cabelo humano que conseguem monitorizar a atividade de mais de mil neurónios cerebrais.

Mais Notícias