Espanha volta a registar ligeiro aumento diário de mortes. Há mais de 208 mil infetados

Foram registados 4211 novos casos em Espanha, país onde já morreram mais de 21 mil pessoas devido ao novo coronavírus

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 435 mortes devido ao novo coronavírus, um ligeiro aumento em relação aos 430 de terça-feira, havendo até agora um total de 21 717 óbitos, segundo as autoridades sanitárias do país.

De acordo com o Ministério da Saúde espanhol, há 4211 novos casos positivos, um aumento em relação a terça-feira, mas na mesma escala de valores dos últimos dias, levando o total de infetados para 208 389.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, 85.915 pessoas foram consideradas recuperadas depois de terem contraído a doença, mais de 41% do número de casos positivos.

Esta quarta-feira, o congresso espanhol vota um novo prolongamento do estado de emergência, que foi decretado pela primeira vez a 14 de março..

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, solicita autorização para a terceira renovação do estado de emergência por mais duas semanas, a partir de domingo, 26 de maio, e até 9 de maio. O chefe do governo referiu que nesta nova proposta estão contempladas medidas de flexibilidade do confinamento,

Uma das medidas estipula que a partir da próxima segunda-feira os menores de 14 anos de idade passem a poder acompanhar um adulto em atividades já permitidas pelo estado de emergência, como ir ao supermercado, à farmácia ou ao banco.

Trata-se de uma medida que suaviza as regras de confinamento em vigor, segundo a ministra das Finanças e porta-voz do executivo espanhol, Maria Jesús Montero, que, no entanto, alertou que a prioridade do Governo continua a ser impedir um hipotético revés na luta contra a covid-19.

Até agora, Madrid apenas permitia a saída para ir ao local de trabalho, para aqueles que o não possam fazer a partir de casa, ou para adquirir ou consumir bens considerados essenciais.

Durante duas semanas, no início de abril, Espanha proibiu a saída de casa para ir trabalhar em atividades não relacionadas com os bens essenciais, como agricultura, venda de produtos alimentares, serviços de saúde, banca, correios, entre outros.

Atualizado às 11:15

Mais Notícias

Outras Notícias GMG