Espanha: Governo e PP satisfeitos com declarações de Marcelo e do governo sobre a Catalunha

Presidente e governo portugueses não reconheceram independência da Catalunha

O delegado do governo de Espanha, na Catalunha, Enrique Millo considera que Marcelo Rebelo de Sousa demonstrou "claramente" que os "democratas estão unidos", por o Presidente da Republica não reconhecer a independência da Catalunha.

Em declarações exclusivas à TSF/DN, recolhidas em Barcelona, o representante do Estado espanhol na Catalunha mostrou-se satisfeito com "as palavras do Presidente de Portugal", classificando-as como a expressão da unidade entre os democratas.

"Creio que as palavras do Presidente de Portugal nos dizem claramente que nós democratas estamos unidos a favor de que as pessoas possam expressar a sua vontade, democraticamente nas urnas e não através da imposição de uns quantos - de uma minoria - sobre o conjunto da população", afirmou Enrique Millo.

O delegado do governo central na Catalunha espera agora que apoio internacional se estenda ao processo eleitoral que se avizinha na região, pois essa "é a resposta lógica dos democratas".

"Os democratas estão ao lado do Estado de Direito [e] ao lado das regras do jogo", disse Enrique Millo, considerando que "a melhor maneira" traduzir a vontade "de todos" é através "das urnas legais".

"Foi por isso que o presidente do governo de Espanha convocou eleições, para o próximo dia 21 de dezembro, em que todos e absolutamente todos podem expressar a sua vontade e a sua opinião", acrescentou.

Também em resposta à TSF/DN, em Barcelona, o líder do partido do governo, na Catalunha, Xavier Garcia Albiol, dirigente do PP, considerou que a posição assumida pelo presidência e pelo governo português, estive à altura da do que a circunstância exigia.

"?Portugal esteve à altura da circunstância, que é o que se espera de uns países que são teus sócios, que são teus companheiros de viagem no projeto de Europa", declarou García Albiol, considerando que ao mesmo tempo se demonstrou que "o independentismo estava instalado, também, sobre a ficção".

"Estava instalado numa realidade virtual, em todos os âmbitos, mas também a nível internacional. E, isso está a ver-se agora e só nos resta agradecer a reação [e] a resposta da comunidade internacional", disse Albiol, referindo-se nomeadamente a "Portugal".

Mais Notícias