Enfermeira bate recorde na maratona, mas Guinness não reconhece porque não correu de saia

Embora Jessica Anderson tenha batido o anterior recorde registado no Guinness, a organização comunicou-lhe num primeiro momento que o seu tempo não é válido porque ela não competiu com o uniforme oficial: saia e touca. Agora já recuou e diz que vai rever a questão

Jessica Anderson, que trabalha há sete anos na unidade de urgência do Royal London Hospital, em Londres, correu no último domingo a maratona vestida com o fato que usa habitualmente no seu dia-a-dia de trabalho (calças e túnica azuis), e cumpriu o seu objetivo: bater o anterior recorde nessa categoria registado no Guinness World Records, que é de 3 horas, 8 minutos e 54 segundos.

Jessica conseguiu percorrer a distância da prova em menos tempo (menos 32 segundos), mas a organização comunicou-lhe que não reconhece a sua marca, uma vez que ela não correu equipada com o uniforme aceite para esta categoria. Nas regras do Guinness, o uniforme tem de incluir um vestido branco ou azul, touca e avental brancos. Além disso, segundo a justificação dada pela organização, o uniforme usado por Jessica poderia ser confundido com o de médico.

"Fiquei muito desapontada quando li que tinham rejeitado a minha candidatura e enviei-lhes um e-mail pedindo-lhes que reconsiderassem, mas responderam-me negativamente", afirmou em entrevista à Runner's World a jovem enfermeira maratonista, citada pelo The Guardian. "Algumas das minhas colegas usam saia no trabalho, mas a maioria veste calças e túnica e nunca vi nenhuma usar vestido", sublinhou ainda Jessica Anderson.

A sua participação na maratona, com a intenção de bater o anterior recorde do Guinness, teve por objetivo angariar fundos para a Barts Charity, uma organização que financia programas e projetos na área da saúde. Jessica esperava conseguir angariar 500 libras (587 euros), mas ultrapassou essa fasquia, chegando às 2399 libras (2818 euros).

O Guinness Worl Records veio entretanto anunciar que o recorde de Jessica vai ser reavaliado. Numa declaração no Twitter, a organização escreveu a propósito que "a inclusão e o respeito são valores muito caros à Guinness World Records e, embora tenhamos sempre de garantir que conseguimos diferenciar as diferentes categorias, é muito claro que este recorde e respetivas regras há muito que precisam de ser revistos, o que faremos nos próximos dias". A Jessica Anderson basta agora esperar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG