Empresa assinala 11 de Setembro derrubando torres de colchões. Não correu bem

Veja o vídeo que caiu muito mal entre os cibernautas. Também a Coca-Cola misturou homenagem e marketing, com maus resultados

Em vésperas do 15.º aniversário dos atentados do 11 de Setembro, uma empresa americana de colchões decidiu criar um vídeo de promoção humorístico alusivo à data. O impacto na internet foi enorme, mas no sentido oposto ao que os autores da ideia pretendiam.

No vídeo, que reproduzimos em baixo, a Miracle Mattress anuncia uma promoção frente a duas "torres" de colchões, numa clara alusão aos edifícios do World Trade Center (WTC). "Nunca esqueceremos", diz em tom divertido a apresentadora, enquanto dois (corpulentos) homens se atiram contra os colchões, derrubando as duas torres.

A gravação foi inicialmente divulgada no Facebook, mas a reação foi de imediato tão negativa que o 'post' foi retirado. O proprietário da empresa, Mike Bonanno, sentiu-se mesmo na obrigação de escrever um pedido de desculpas, afirmando que não tivera conhecimento do vídeo nem "a aprovação dos membros da sede, em Houston".

Ainda que a publicação original tenha sido apagada, como é habitual na internet houve logo alguém que colocou uma versão que ainda subsiste. Foi vista no YouTube mais de um milhão de vezes em 24 horas:

Esta não foi a primeira ação de marketing em jeito de homenagem ao 11 de Setembro que corre mal. Na terça-feira, um tweet gerou polémica ao revelar ao mundo que a Coca-Cola tinha criado, nos supermercados Walmart de Panama City, na Florida, uma representação das torres gémeas do WTC e a bandeira dos EUA utilizando caixas dos seus produtos.

Além do gosto duvidoso da construção, esta servia ainda para anunciar um desconto - "Promoção $3,33", lê-se entre as torres.

Lançada a controvérsia nas redes sociais, a Coca-Cola acabou por recuar. Ao site de tecnologia CNet uma porta-voz da companhia afirmou que a campanha foi imaginada por um parceiro local e em comunicado declarou "as mais sinceras desculpas a todos que se sentiram ofendidos".

A estrutura foi rapidamente retirada.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG