Em véspera do debate, sondagem dá mais votos a um PSOE com Sánchez

Ex-secretário-geral enfrenta hoje Susana Díaz e Patxi López no único confronto antes das primárias do próximo dia 21.

Um debate "de luvas brancas" ou um confronto "entre companheiros". Foi assim que Pedro Sánchez e Susana Díaz descreveram o confronto desta noite, em que participará ainda Patxi López, o terceiro candidato às primárias do PSOE marcadas para dia 21. A acreditar nas sondagens, os militantes do partido continuam a preferir o antigo secretário-geral do partido para reassumir a liderança. 52% dos inquiridos pelo instituto Sigma Dos para o El Mundo optam por Sánchez, contra 27,1% que escolhem a presidente do governo da Andaluzia e 14,4% preferem o ex-líder do País Basco.

Mas o El Mundo não se ficou por aqui, foi tentar perceber com qual líder o PSOE conseguiria melhor votação em caso de eleições. E aí a vantagem volta a ser de Pedro Sánchez. Uns socialistas espanhóis liderados pelo ex-secretário-geral subiriam 5,7 pontos em relação à sondagem de maio, conseguindo 28,2% das intenções de voto, muito perto dos 29,9% do Partido Popular do primeiro-ministro Mariano Rajoy. . Com Susana Díaz à frente, o PSOE subiria dois pontos, conseguindo 24,7% contra 29,4% do PP. Um subida menor do que se o líder fosse Patxi López. O ex-presidente do governo basco faria o partido subir 4,5 pontos, para os 27,4%, contra 29,3% do PP.

Os socialistas espanhóis entraram em crise profunda depois das eleições de dezembro de 2015 e de junho de 2016. No primeiro escrutínio o PSOE obteve 22% dos votos, atrás dos 28,7% dos populares. Sem que nenhum partido conseguisse formar uma maioria de governo num panorama político em que o bipartidarismo deu lugar a quatro formações a disputar a vitória quase em pé de igualdade - além de PP e PSOE, também a extrema-esquerda do Podemos e os centristas do Ciudadanos -, os espanhóis voltaram às urnas seis meses depois. Os resultados pouco mudaram, com PP a vencer com 33%, à frente do PSOE com 22,6%. Desta vez, e depois de novo braço-de-ferro de Sánchez, que recusou abster-se para permitir a entronização de Rajoy, este acabou por tomar posse à frente de um governo minoritário.

Enfraquecido, Sánchez acabou afastado da liderança do PSOE em outubro, aprofundando a crise socialista. Hoje, Sánchez será o primeiro a chegar ao número 10 da calle Ferraz em Madrid, a sede do PSOE onde vai decorrer o debate. Seguem-se Díaz e López. O ex-presidente do governo basco ficará sentado no meio, com a líder andaluza à direita e o ex-secretário-geral à esquerda. O debate será moderado por Carmen del Riego e será transmitido no canal do PSOE no YouTube. Os candidatos estarão sentados em bancos altos e poderão tomar notas. Dividido em três blocos de 27 minutos cada - nove para cada candidato -, o debate. Díaz é a primeira a falar. Sánchez será o último.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG