Efeito Trump: Judeus e muçulmanos unem-se contra a intolerância

Foi criado um órgão consultivo contra a islamofobia e o antissemitismo que vai defender os direitos das minorias religiosas nos Estados Unidos

A vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais aproximou duas importantes organizações religiosas, naquela que era considerada uma aliança improvável. O Comité Judeu Americano e a Sociedade Islâmica da América do Norte criaram esta segunda-feira um grupo nacional, o Conselho Consultivo Islamo-Judaico.

No comunicado do comité judaico onde é anunciada a criação deste novo órgão é referido que o novo grupo "vai unir reconhecidos dirigentes empresariais, políticos e religiosos das comunidades judaica e islâmica, para juntos lidarem com questões comuns", segundo o jornal Harretz.

Os objetivos iniciais são "desenvolver uma estratégia coordenada para encarar a intolerância anti-islâmica e o antissemitismo nos Estados Unidos", além de "proteger e expandir os direitos das minorias religiosas".

Os dirigentes do Conselho Consultivo serão Stanley Bergman e Farooq Kathwari, empresários de sucesso, e entre os membros mais notáveis está o ex-senador Joseph Lieberman, que foi candidato do Partido Democrata a vice-presidente em 2000.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG