Do espaço à bolsa. Fortuna pessoal de Elon Musk dispara após semana agitada

Empresário de tecnologia viu a fortuna aumentar em mais de 12,6 mil milhões de euros na última semana

A fortuna pessoal do empresário de tecnologia Elon Musk disparou esta semana em mais de 15 mil milhões de dólares (12,6 mil milhões de euros), escreve a BBC.

Na segunda-feira, foi anunciado que a sua marca de carros elétricos, a Tesla, foi aceite num importante índice do mercado de ações dos Estados Unidos, o S&P 500.

Esse acontecimento teve lugar já depois de uma outra empresa (esta de foguetões) de Musk, a SpaceX, ter saltado para o topo da atualidade científica após ter enviado com sucesso quatro astronautas ao espaço.

E tudo numa altura em que Musk testou positivo para a covid-19 e está prestes a tornar-se na terceira pessoa mais rica do mundo.

O preço das ações da Tesla subiu cerca de 14% em Nova Iorque após a notícia de que estava a ser adicionado ao índice. Dada a participação de 20% de Musk na Tesla, o seu património líquido subiu para 117,5 mil milhões de dólares (99,2 mil milhões de euros), de acordo com o índice Bloomberg Billionaires.

A fortuna do empresário aumentou 90 mil milhões de dólares (76 mil milhões de euros) este ano, já que o preço das ações da Tesla continuou a subir.

No fim de semana, Musk tweetou que "provavelmente" teve um caso moderado de covid-19 e apresentou sintomas de "uma ligeira gripe". Isso aconteceu um dia antes de quatro astronautas serem lançados na Estação Espacial Internacional num foguetão construído pela SpaceX.

A Tesla vai entrar no S&P 500 a 21 de dezembro, após meses de especulação e um revés em setembro, quando não conseguiu chegar ao índice.

A empresa com sede na Califórnia seria a maior nova estreante no índice dos EUA, com um valor de mercado de ações de mais de 400 mil milhões de dólares (337,7 mil milhões de euros).

A entrada da Tesla ocorre depois de a empresa ter registado quatro trimestres consecutivos de lucro, algo fundamental para a aceitação no índice, apesar de a firma ter apresentado prejuízos em grande parte de sua história.

Ao serem incluídos no S&P 500, os fundos de investimento que rastreiam o índice vão investir automaticamente na Tesla.

"A Tesla será uma das maiores adições de peso ao S&P 500 na última década e, consequentemente, gerará uma das maiores negociações de financiamento da história do S&P 500", disse um porta-voz da S&P Dow Jones Indices.

A fabricante californiana tornou-se na mais valiosa do mundo, apesar de produzir apenas uma fração dos carros fabricados pelos seus rivais maiores, Toyota, Volkswagen e General Motors.

A Tesla fabrica apenas cerca de 140 mil carros por ano, em comparação com a Toyota, que produz cerca de 10 milhões.

Mais Notícias