Do assassinato de Luther King à violência policial. Os dias em que a América ardeu

Os principais conflitos raciais nos EUA desde os anos 1960, quando a figura de Martin Luther King liderou a luta pelos direitos civis da comunidade negra. A maior parte deles foram desencadeados por mortes de afro-americanos às mãos de polícias brancos.

Os EUA estão a ferro e fogo desde a morte de George Floyd, vítima de violência policial injustificada. Os protestos violentos espalharam-se pelas principais cidades dos EUA e são o mais recente capítulo da tensão racial no país que já conheceu outros momentos assim. Recorde os principais.

1965, Los Angeles

Dois homens negros são parados pela polícia por suspeitas de condução sob o efeito de álcool. Este foi o mote para os protestos que se seguiram e que ficaram conhecidos como os "Tumultos de Watts", que duraram de 11 a 17 de agosto de 1965, em Los Angeles, e que deixaram 34 mortos e provocaram dezenas de milhões de dólares em danos materiais.

Marquette Frye, um afro-americano, e o seu meio-irmão são parados pela polícia e levados para interrogatório. Vários milhares de negros cercam a esquadra e, após uma semana de incêndios e pilhagens, o bairro de Watts está praticamente destruído.

1967, Newark

Dois agentes da polícia brancos prendem e espancam um motorista de táxi negro devido a uma pequena infração de trânsito, provocando tumultos que duraram de 12 a 17 de julho em Newark, Nova Jersey.

Durante cinco dias, no calor sufocante do verão, manifestantes arruínam as ruas do distrito, deixando 26 mortos e 1.500 feridos.

1967, Detroit

Motins em Detroit, Michigan, de 23 a 27 de julho de 1967, deixaram uma cifra negra de 43 mortes e mais de 2.000 feridos. Os distúrbios espalham-se pelo Illinois, Carolina do Norte, Tennessee e Maryland.

1968, Memphis, o homicídio do "rei", Martin Luther King

O assassinato de Martin Luther King, em Memphis, no Tennessee, desencadeia uma onda de violência em 125 cidades de 4 a 11 de abril de 1968, com uma cifra de 46 mortos e 2.600 feridos.

Em Washington, o então presidente Lyndon B. Johnson envia a 82ª Divisão Aerotransportada para conter os protestos.

1980, Miami

A absolvição de quatro polícias brancos em Tampa, na Florida, acusado de espancar um motociclista negro até a morte, em dezembro de 1979, depois do afro-americano ter passado um sinal vermelho, desencadeou uma onda de violência na cidade de Liberty, em Miami, de 17 a 20 de maio de 1980. Os distúrbios provocaram a morte a 18 pessoas e fizeram centenas de feridos.

1992, Los Angeles

De 30 de abril a 1º de maio de 1992, surgem tumultos em Los Angeles, com pelo menos 59 mortos e mais de 2.300 feridos. A violência foi desencadeada pela absolvição de quatro polícias brancos que foram filmados a espancar um motorista negro, Rodney King.

A violência espalha-se por Atlanta, Califórnia, Las Vegas, Nova Iorque, São Francisco e São José.

2001, Cincinnati

No dia 9 de abril de 2001, houve tumultos em Cincinnati, Ohio, após o assassinato de um negro de 19 anos, Timothy Thomas, por um polícia branco. O autarca Charlie Luken impõe o toque de recolher por quatro noites depois da cidade assistir aos piores distúrbios em mais de 30 anos, durante os quais 70 pessoas ficam feridas.

2014, Ferguson

Dez dias de protestos e tumultos, além de táticas pesadas da polícia em Ferguson, Missouri, ocorrem de 9 a 19 de agosto de 2014, depois de um polícia branco matar um adolescente negro desarmado, o aspirante a estudante Michael Brown, de 18 anos.

No final de novembro, o anúncio de que as acusações contra o polícia tinham caído leva a uma nova explosão de raiva.

2015, Baltimore

A 19 de abril de 2015, Freddie Gray, um homem de 25 anos de idade, morre uma semana depois de sofrer graves lesões na coluna vertebral enquanto estava numa carrinha da polícia depois de ser preso por agentes da polícia de Baltimore.

A prisão é captada em vídeo e transmitida, o que leva a tumultos e pilhagens em Baltimore, uma cidade de 620 mil habitantes, dos quais quase dois terços são negros.

É declarado o Estado de Emergência e as autoridades chamam as tropas para as ruas.

2016, Charlotte

Em setembro de 2016, em Charlotte, Carolina do Norte, aconteceram protestos violentos devido ao tiro fatal da polícia que vitimou Keith Lamont Scott, de 43 anos.

A polícia diz que o tiroteio aconteceu quando viram o afro-americano a empunhar uma arma enquanto se aproximavam de seu veículo depois de alegadamente o terem visto a enrolar um cigarro de marijuana.

A família diz que Keith Lamont Scott estava desarmado. As autoridades impuseram o toque de recolher e chamaram o exército para as ruas.

(com AFP)

Mais Notícias