Opositor de Putin em coma após alegado envenenamento. Kremlin deseja as melhoras

Alexei Navalny, 44 anos, está ligado a um ventilador e "em estado grave", disseram os médicos do hospital siberiano onde foi internado de urgência, citados pela porta-voz do advogado no Twitter. O Kremlin já reagiu e deseja as melhoras ao opositor de Putin

O principal opositor do Presidente russo Vladimir Putin sentiu-se mal durante um voo quando regressava a Moscovo proveniente de Tomsk, uma cidade na Sibéria, disse a porta-voz Kira Yarmysh. O político está em estado grave e tudo indica que terá sido envenenado.

O alto representante da União Europeia (UE) para a Política Externa, Josep Borrell, já manifestou hoje preocupação pelo alegado envenenamento de Navalny, exigindo responsabilização dos responsáveis se o crime se confirmar.

"Preocupado por saber da suspeita de envenenamento de Alexei Navalny. Se confirmado, os responsáveis têm de ser responsabilizados", escreveu Josep Borrell numa publicação na rede social Twitter. O chefe da diplomacia europeia endereça ainda, na mensagem, uma "rápida e completa recuperação" do opositor russo.

Entretanto, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, desejou uma "recuperação rápida" a Alexei Navalny. "Sabemos que está em estado grave. Como a qualquer cidadão russo, desejamos-lhe uma recuperação rápida", disse Peskov aos jornalistas.

O avião onde seguia Navalny fez uma aterragem de emergência em Omsk, na Sibéria, devido ao agravamento do estado de saúde do advogado russo.

Segundo a porta-voz, Kira Yarmysh, "Alexei foi envenenado, intoxicado" e "agora está nos cuidados intensivos" no hospital de Omsk, na Sibéria.

"Achamos que Alexei foi envenenado com algo misturado no chá. Ele não bebeu mais nada nesta manhã", disse, acrescentando que "os médicos relataram que o veneno foi rapidamente absorvido pela bebida quente".

Kira Yarmysh, secretária de imprensa da Fundação Anticorrupção, fundada por Navalny em 2011, escreveu no Twitter que o advogado está nos cuidados intensivos, com respiração assistida e em coma.

A porta-voz tem estado a atualizar a situação através do Twitter e revelou que "neste momento há mais polícias no hospital do que médicos", partilhando uma imagem de uma "pena parte" desse grupo de agentes no corredor da terapia intensiva, onde Navalny está internado.

Segundo Yarmysh, se numa fase inicial os médicos se mostraram disponíveis para partilhar informação sobre o estado clínico de Navalny, agora dizem que os testes para apurar elementos tóxicos no organismo do advogado estão atrasados.

Estão "claramente a ganhar tempo, e não a dizer o que sabem", afirma Yarmysh.

Entretanto, em novo tweet, a porta-voz afirmou que, no discurso oficial de um representante do hospital aos jornalistas, foi dito que Navalny está "em coma e em estado grave, estável".

"Nada dizem sobre o diagnóstico, se corre perigo de vida", acrescenta Kira Yarmysh.

A agência de notícias russa Tass, citada pela BBC, revela que o hospital de emergência de Omsk confirmou que o opositor de Putin está em estado grave.1

"Alexei Anatolyevich Navalny, nascido em 1976. Envenenado e em terapia intensiva", disse a fonte do hospital citada pela Tass.

Imagens nas redes sociais mostram Navalny a ser transportado deitado numa maca para uma ambulância na pista do aeroporto.

Em junho, o advogado descreveu uma votação sobre as reformas constitucionais como um "golpe" e uma "violação da constituição". As reformas permitem que Putin cumpra mais dois mandatos.

No ano passado, Navalny foi levado às pressas da prisão para um hospital, onde cumpria pena após uma prisão administrativa, com o que a sua equipa disse ser suspeita de envenenamento.

Na altura os médicos disseram que ele teve um grave ataque alérgico e mandaram-no de volta para a prisão no dia seguinte.

Principal opositor a Vladimir Putin, o advogado, cujas publicações anticorrupção são amplamente partilhadas nas redes sociais, já sofreu ataques no passado.

Em 2017, Navalny foi pulverizado nos olhos com um desinfetante quando deixava o seu escritório.

Navalny, os seus apoiantes e famílias são regularmente submetidos a prisões, revistas e pressão policial em toda a Rússia.

Embora não exista confirmação independente de que Navalny tenha sido envenenado, os serviços de segurança russos são suspeitos de atacar vários dissidentes e outros, incluindo Sergei V. Skripal, um ex-agente duplo russo que foi envenenado em Inglaterra em 2018, recorda o The New York Times.

* com Lusa
atualizado às 13.35

Mais Notícias

Outras Notícias GMG